A identidade de Iporá

09/03/2019

Iporá é cidade da região Oeste de Goiás, sendo nesta parte do Estado, a maior aglomeração humana, com população estimada, em 2018, em 31.563 habitantes e com um município de extensão territorial de 1.026,384 km² .


Trata-se de cidade de formação recente, com emancipação em 1948, quando da Marcha para o Oeste, na Era Vargas, na década de trinta do século passado. O povo, o Distrito e, em seguida, a cidade foram frutos de uma colonização para cultivo da terra, com lavouras e pecuária de corte e de leite.


Em razão disso, por ser uma comunidade com origem tipicamente rural, o comportamento do povo tem ainda a ver com todo esse meio. São costumes do povo as práticas de cavalgada, principalmente em muares, uma grande afeição por rodeios, provas de laços e demais competições com animais. Aprecia-se a música sertaneja, o ritmo de forró em eventos e, desde a década de trinta, a catira e a folia de reis.


Cada um desses hábitos estão profundamente arraigados no povo. As cavalgadas e o apego a muares fez com que surgisse na cidade um evento que é atualmente fator para que estra comunidade seja reconhecida em todo país e até fora dele. Em todo mês de janeiro é realizado o Encontro Nacional de Muladeiros, o que já perdura por 15 anos.


A folia de reis é prática ainda com vigor, numa mistura de tradição e religiosidade, no giro por casas da zona rural e até da cidade, em um simbolismo da visita que os Reis Magos fizeram ao Menino Jesus.


Em eventos rurais e até na cidade uma dança tradicional na região chama atenção. É a catira, um sapeado ao som de viola e cantoria. Essa tradição tem uma beleza que encanta e que é praticada até por pessoas mais jovens.


No aspecto geográfico, é marca de Iporá uma vegetação de cerrado, onde o lobo e o tamanduá foram animais marcantes na região, em tempos que índios caiapós também habitaram estes vales dos rios Claro e Caiapó. O Morro do Macaco, ao lado da cidade, é o acidente geográfico que mais chama a atenção, já é imponente, com cume agudo.


Na paisagem urbana, o lago artificial Pôr-do-Sol é o que mais destaca. A população é acolhedora para visitantes, especialmente quando da festa da padroeira da cidade, a Nossa Senhora Auxiliadora. O evento com uma programação religiosa de vibrantes romarias e com um lado lúdico e comercial com mais de mil barracas ao longo da Avenida 15 de Novembro, faz desta a terceira maior festa religiosa do Estado com esta característica de comercialização, perdendo apenas para os eventos de Trindade e do Muquém, em Niquelândia.


Estes são as principais características para lembrar do que é Iporá e sobre o perfil do seu povo.

O que achou dessa Notícia?
0 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano ou Facebook para comentar.

    Botão do Facebook
    Faça aqui o seu cadastro!