Obra irregular feita. Prefeito e ex-prefeito são acionados pelo MP

16/06/2019

A Promotoria de Justiça de Firminópolis ingressou com ação civil pública (ACP) por ato de improbidade administrativa, combinada à obrigação de fazer, com pedido de tutela antecipada contra Jorge José de Souza, prefeito; Leonardo de Oliveira Brito, ex-prefeito do município; Wilson Oliveira Santiago e a empresa W. O. Santiago Construtora Eireli – ME, por irregularidades na utilização de recursos públicos destinados à revitalização do lago municipal. O Ministério Público de Goiás (MP-GO), na ACP, pediu a indisponibilidade de bens dos réus no valor de R$ 700 mil e a realização de reparos na obra, custeados pelos quatro.


A revitalização do Lago Municipal de Firminópolis teve início em 2015, com a assinatura de convênio entre a prefeitura e o Ministério do Turismo, no valor de R$ 700 mil – R$ 685,5 mil do convênio federal e contrapartida do município de R$ 17,5 mil. Em 2016, o MP-GO instaurou inquérito civil público para apurar possível prática de improbidade administrativa consistente em desvios de recursos financeiros destinados à obra.


Perícia técnica realizada pela Coordenação de Apoio Técnico Operacional – Unidade Técnico-Pericial em Engenharia (Catep) do MP-GO, constatou várias irregularidades, como obras fora do estabelecido no contrato, baixa qualidade do material utilizado, degradação acentuada de equipamentos e das construções, erosão em vários pontos, entre outros problemas. Outra falha detectada é a falta de documentos que comprovem o efetivo gasto com a aquisição de material, além dos comprovantes técnicos necessários para avaliar as alterações que ocorreram durante a execução dos serviços.


De acordo com o promotor de Justiça Ricardo Lemos Guerra, apesar de todos os esforços, não foi possível obter as notas fiscais referentes às obras realizadas no lago municipal, que seriam importantes para constatar a efetiva aplicação dos recursos. “Denota-se que o valor pactuado não foi empregado na sua totalidade e não foram obedecidas as normas técnicas e legais nas obras, diante das incongruências encontradas nos valores informados, bem como nas péssimas condições em relação às obras realizadas”, afirma.


Segundo o MP-GO, o prefeito Jorge José de Souza, o ex-prefeito Leonardo de Oliveira Brito, o empresário Wilson Oliveira Santiago e a empresa W. O. Santiago Construtora incorreram em atos de improbidade administrativa, por agirem com ineficiência na gestão do dinheiro público, aplicando-o com prejuízos aos cofres públicos. Os dois gestores municipais, de acordo com a ACP, não comprovaram a correta aplicação do dinheiro nem os documentos demonstraram a efetiva fiscalização do emprego de material e técnicas adequadas para as construções. “Os dois simplesmente repassaram todas as responsabilidades à W. O. Santiago Construtora, tendo esta conduzido as obras no lago municipal da forma como bem entendia, desrespeitando o contrato”, afirmou.


Os réus, segundo a ACP, praticaram atos de improbidade administrativa, uma vez que violaram os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, eficiência, economicidade e razoabilidade. “A busca pela atuação proba do agente público não visa somente evitar desvios e enriquecimento ilícito, mas também assegurar a utilização dos escassos recursos da sociedade de modo eficiente, evitando-se o desperdício, com consequentes prejuízos aos cofres públicos”, narra a ação.


Na ACP é pedida a indisponibilidade dos bens dos quatro réus, para garantir o ressarcimento dos R$ 700 mil de prejuízos aos cofres do município de Firminópolis. Também é pedida a condenação, em obrigação de fazer, para que adotem as medidas reparadoras e corretivas das obras realizadas no lago municipal, com a contratação de engenheiro, arquiteto e demais profissionais necessários, para que seja apresentado projeto que contemple a execução dos serviços, com a utilização de material de boa qualidade e mão de obra qualificada. As despesas devem ser custeadas pelos réus. (Texto: João Carlos de Faria/Assessoria de Comunicação Social do MP-GO – Fotos: Acervo da Promotoria de Firminópolis e Catep)

O que achou dessa Notícia?
0 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano ou Facebook para comentar.

    Botão do Facebook
    Faça aqui o seu cadastro!