Governo libera 30 milhões para investimentos em empresas na capital e interior. Em 2020, meta é ultrapassar 100. Cabe a municípios buscar os recursos

11/01/2020
goias-fomento11012020.jpg

Nesse ano que passou a Goiásfomento liberou R$ 30,3 milhões em financiamentos. Planos são audaciosos para este 2020. Com a participação dos municípios e, inclusive, da classe política, portas podem se abrir para muitos investimentos.


Ainda em 2019 a Agência totalizou 825 contratos. Resultado foi apresentado pelo presidente da instituição financeira, Rivael Aguiar, ao secretário da Indústria, Comércio e Serviços, Wilder de Morais, na última quinta-feira, dia 08. 


Em 2019, a GoiásFomento liberou R$ 30,321 milhões em financiamentos, totalizando 825 contratos que geraram 2.780 empregos diretos. O valor médio dos empréstimos foi de R$ 37 mil, sendo que 8.716 pessoas foram atendidas pela Agência de Fomento. Do total liberado, 90% foram destinados a microempreendedores.


Os resultados do ano passado foram apresentados nesta quinta-feira (08/01) pelo presidente Rivael Aguiar Pereira para o secretário da Indústria, Comércio e Serviços, Wilder de Morais, e auxiliares, em reunião na sede da GoiásFomento.


Além do balanço da GoiásFomento do ano anterior, Rivael informou quais são as metas e os projetos que serão desenvolvidos em 2020. Este ano a instituição financeira comemora 20 anos de atividade, como comprova o registro na Junta Comercial do Estado (Juceg) do dia 7 de julho de 2000. E pretende comemorar com o lançamento de novos produtos para seus clientes.


“Apresentamos o balanço das principais ações, em especial aquelas que envolveram o Goiás Empreendedor, que é o programa de apoio ao empreendedorismo lançado no ano passado pelo governador Ronaldo Caiado. A GoiásFomento, como agente financeiro oficial do Estado, é a instituição que oferta o crédito do programa”, destacou Rivael.
Segundo ele, os resultados de 2019 foram muito bons, principalmente levando em conta o curto período de tempo que a nova equipe teve para desenvolver o trabalho, que foi de fato de seis meses. Rivael Aguiar assumiu a presidência em julho do ano passado.


Meta


A meta da GoiásFomento para 2020 é ousada, afirmou o presidente da Agência. “A ideia é atingir mais de 4 mil e 500 contratos e ultrapassar R$ 100 milhões em financiamentos. Sabemos que essa meta é desafiadora. Mas com o apoio do secretário da Indústria e Comércio, Wilder Morais, do governador Ronaldo Caiado e de toda a nossa equipe, estamos animados com o desenvolvimento do trabalho para este ano”, acrescentou.


Rivael Aguiar adiantou que um dos projetos é a criação do CredFomento, que vai ser uma linha de crédito especial operada por cartão de crédito. Com ela, todo o processo será mais simplificado para a contratação do crédito e disponibilização dos valores. Vai funcionar como crédito rotativo para capital de giro e investimentos.


“A Agência de Fomento trabalhou muito. Estamos recebendo o balanço de 2019 e fazendo também o planejamento para 2020. Estamos vendo todas as áreas, os investimentos e os recursos, que estamos buscando não só com o governo estadual, mas com o governo federal, o BNDES e a Caixa”, disse o secretário Wilder de Morais.


Ele afirmou acreditar ser possível atingir a meta pré-estabelecida de atender, até o ano de 2022, 14 mil novos clientes e fomentar a economia goiana. Para os quatro anos do governo Ronaldo Caiado, a meta da GoiásFomento é liberar cerca de R$ 500 milhões e gerar 50 mil empregos.


Crédito concedido


O empresário do segmento supermercadista de Davinópolis, cidade do Sudeste Goiano, Ricson Ferreira dos Santos, foi atendido no ano passado com a concessão de crédito pela Agência de Fomento. O contrato dele foi assinado em novembro último, por meio do qual foram liberados R$ 50 mil do Crédito Produtivo.


“Tenho CNPJ há 17 anos, além de imóveis em meu nome e residência fixa. Mas ia aos bancos e enfrentava a maior burocracia (para conseguir crédito). Então fiquei sabendo que em Catalão, cidade vizinha, havia um correspondente da GoiásFomento. Em outubro passado fui lá para me informar, ouvi as explicações e preparei a documentação exigida”, conta. Com o dinheiro liberado, vai fazer investimentos na área do açougue do seu estabelecimento.


“O juro é barato e começo o ano animado. Quem sabe consigo pagar antes do prazo (o financiamento foi contratado para pagamento em 36 parcelas) e poderei buscar um novo financiamento”, diz. Segundo o supermercadista, ele só tem a agradecer à GoiásFomento, “que acreditou em mim e me ajudou a subir um novo e importante degrau como empreendedor”.


Ricson observa que, atualmente, a grande dificuldade enfrentada pelo empresário é conseguir dinheiro para capitalizar seu negócio. Isso acontece, muitas vezes, pela falta de conhecimento das linhas de crédito oferecidas a juros baixos pela GoiásFomento, pondera.


Linhas de crédito


De acordo com o balanço da Goiás Fomento, em 2019 o programa Goiás Empreendedor liberou financiamentos da ordem de R$ 25,716 milhões. O programa foi composto pelas modalidades Crédito Produtivo Transporte Escolar (R$ 1,434 milhão liberados), Crédito Produtivo (R$ 23,938 milhão) e Crédito Produtivo Energia Solar (R$ 344,07 mil).


O Crédito Produtivo e o Microcrédito são linhas especiais do Goiás Empreendedor, um programa estratégico do Plano de Governo. É coordenado pela Secretaria da Indústria e Comércio e Serviços, para promover o desenvolvimento do empreendedorismo, por meio de financiamento com juros bem abaixo dos praticados no mercado e suporte técnico aos empresários.


Gerência de Comunicação da GoiásFomento

O que achou dessa Notícia?
6 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.