Produtores rurais voltam a reclamar de interrupção de energia elétrica. Amanhã haverá reunião com diretores da Celg

10/10/2017
celg10102017.jpg

Falta de podas pode estar causando danos na rede e interrupção no fornecimento de energia elétrica

Como os produtores voltaram a sofrer com frequentes interrupções no fornecimento de energia elétrica em suas propriedades rurais, está marcada para amanhã, quarta-feira, 11, às 15 horas, no Tatersal do Parque Agropecuário, uma reunião com diretores da Celg, os quais estão vindo de Goiânia para essa finalidade, a de ouvir clientes da empresa em áreas rurais.


Essa reunião acontece em razão da intercessão da Federação da Agricultura do Estado de Goiás (FAEG), a qual, a pedido do presidente do Sindicato Rural de Iporá, Diorama e Israelândia, Adailton Leite, solicitou que a direção da empresa Celg fosse acionada para ouvir os produtores rurais e dar explicações sobre o assunto, bem como agir em manutenção de redes, de forma a não mais haver essas interrupções no fornecimento de energia elétrica.


Diretores de sindicatos rurais da região estarão vindo para a reunião desta quarta-feira para expor para diretores da Celg a mesma realidade, já que o problema na interrupção no fornecimento de energia elétrica é em área rural de todos os municípios deste lado do estado.


Sobre essa falta de energia elétrica os produtores contam que são frequentes e que chegam a perdurar por trinta horas, o que provoca prejuízos de alimentos que se deterioram e, principalmente, do leite acondicionado para resfriamento, dependente da energia elétrica de forma permanente. Vários casos de prejuízos são relatados por produtores rurais.


Há quase dois anos atrás, quando os atuais diretores do Sindicato Rural de Iporá, assumiram seus cargos, esse problema era gritante, mas que foi resolvido com um mutirão de podas em linhas de transmissão. Em seguida, a própria Celg tomou providências de manutenção em outras linhas. No entanto, agora o problema volta a afligir, certamente pela falta de boa manutenção das podas de árvores que tocam as redes, causando curto-circuito e queda da energia. Como o serviço de plantão da Celg não é rápido, a falta de energia perdura por horas.


A expectativa é de que os diretores da empresa, vindos de Goiânia, anunciem ações para solução permanente para o problema.

O que achou dessa Notícia?
5 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.