Aos mestres, com carinho!!!

15/10/2013

Noeme, Maura, são tantas figuras ilustres entre os docentes. Do Professor Moizeis Alexandre Gomis uma homenagem para Dona Maura Antônia, a fundadora do Colégio Exato.

A HOMENAGEM DO ESQUECIMENTO


Nesse 15 de outubro de 2013, Dia do Professor, dedico esta mensagem à professora Maura, educadora veterana que tem sido uma referência na história da educação em Iporá tanto púbica como privada, e um exemplo de profissional, que representa de forma honrosa toda a classe docente de nossa cidade. Foi minha professora de História no Colégio Estadual de Iporá (Atual Colégio Estadual Elias de Araújo Rocha), no final da década de 1960 e início dos anos de 1970, no meu tempo de Curso Ginasial. Fundadora do Colégio Exato, o primeiro particular da cidade, onde trabalhei por cerca de 10 anos como professor do Ensino Fundamental e Médio. Graças à sua confiança em minha pessoa como profissional, tive a oportunidade de demonstrar minhas habilidades docentes, em um tempo em que, por motivos políticos (era militante de um partido de esquerda), tive minha contratação negada em uma rede pública de educação, mesmo tendo sido aprovado em primeiro lugar no concurso público para professor, conforme anunciado pela Rádio Rio Claro, na época.


O calendário dedica cada dia do ano para prestar homenagem a alguma pessoa, evento, fato histórico, causa social, meio ambiente, etc. Antes que isso viesse a ser uma formalidade secular, a Igreja Católica já tinha seu calendário religioso dedicando cada dia do ano aos santos e santas canonizados. Razão de, antigamente, muitas pessoas terem sido batizadas com nomes do santo ou santa do dia seu nascimento. Aliás, não apenas pessoas, mas também logradouros, rios e cidades, tiveram seus nomes escolhidos conforme o santo ou santa escrito na “folhinha” do bloco do calendário, que ia sendo desfolhado diariamente e que trazia ainda uma mensagem ou pensamento filosófico para a reflexão do leitor.
Assim, há dias que são marcantes como o de Natal, das mães, dos namorados e das crianças. Dentre esses dias memoráveis, há também o Dia do Professor. Mas ninguém faz festa para comemorá-lo, salvo algumas homenagens feitas pelos próprios profissionais da classe docente, uma espécie de reconhecimento recíproco, onde, às vezes, se presenteiam mutuamente ou então a escola onde trabalha o faz. O único reconhecimento oficial existente, é que o Estado decretou esse dia como feriado para os que trabalham na Educação. Feriado que, para alguns pais de alunos, é desnecessário, pois reclamam pelo fato de não haver aulas para seus filhos. Quando todos os pais deveriam promover uma comemoração festiva com alarde e exaltação do ofício daqueles que são responsáveis pela formação intelectual e cultural de seus filhos. Daqueles que os ensinaram a engatinhar nas letras do alfabeto, a deslumbrar com os primeiros passos da leitura, a caminhar pela vereda do conhecimento e os treinaram na academia dos saberes, preparando-os para as olimpíadas da vida, onde irão receber as medalhas de ouro, de prata e de bronze das realizações pessoais e sociais, com o peso e o brilho da gloriosa da vitória!


E o professor ou professora? Qual é o reconhecimento que recebem do comitê olímpico da sociedade, ou melhor, dos pais de alunos? Recebem sim, muitas vezes, cobranças, desacatos, críticas, humilhações e a dolorosa homenagem do esquecimento. São esquecidos da maioria dos pais de alunos, da sociedade e, pior, da quase totalidade dos alunos que são e serão os heróis condecorados pelo sucesso profissional e recompensados com todos os bens agregados advindos desse sucesso. Ou será que já nasceram sabendo tudo...? São esquecidos até quando usam do último recurso que lhes resta a fim de serem ouvidos em suas justas reivindicações: a greve. Na verdade, às vezes, são lembrados nessa ocasião, mas para receberem injustas acusações, sendo taxados de preguiçosos e inconsequentes que prejudicam os alunos fazendo-os perder dias de aulas e atrasando o encerramento do calendário escolar, prejudicando suas férias.


Nem a profissão de técnico de futebol é mais ingrata que a docência. Se o time vai bem, colecionando vitórias e mais vitórias, ele é louvado e enaltecido. Basta perder ou empatar dois ou três jogos, que logo começa a virar vilão e, se a vitória não vier logo, por culpa de um elenco ruim que nem foi contratado por ele, é demitido pela diretoria e exacrado pela torcida que há poucos dias o aplaudia e endeusava. Por outro lado, se seu time conquista o campeonato, ele também recebe os louros da vitória coletiva. Mas e o professor e professora? Mesmo quando o seu “time” ganha a taça do campeonato, eles não compartilham da festa da vitória. São homenageados com o esquecimento.


Isso não é despeito de profissional frustrado, infeliz com a profissão que escolheu e fracassado: sou professor com muito orgulho, amo o que faço e sei que a maioria dos que foram e são meus alunos, retiveram grande parte do que lhes ajudei a aprender, nos longos anos de magistério, desde que comecei a ministrar aulas aos dezessete anos de idade, em uma sala de aula multisseriada, na varanda de um paiol em uma fazenda. Apesar de todos os pesares, ainda sou feliz em ser professor e, sem hipocrisia, satisfeito com o salário que recebo (ainda que não seja o que eu meus colegas merecemos). Mesmo assim, continuo afirmando que professor e professora continuam sendo os heróis esquecidos. Nosso consolo é que a semente que semeamos frutifica para a eternidade, pois o conhecimento é valor agregado, não ao cérebro que vira pó, mas ao espírito que é imortal, eterno.


Por isso dona Maura, a sua longa e árdua semeadura não será em vão, continuará a frutificar nas gerações futuras. Receba esta homenagem que, através de sua pessoa, se estende a todos os professores e professoras.


 





No dia do mestre, reflexões que valem a pena:



O professor só pode ensinar quando está disposto a aprender
Janoí Mamedes


Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.
Cora Coralina


Se deres um peixe a um homem faminto, vais alimentá-lo por um dia. Se o ensinares a pescar, vais alimentá-lo toda a vida.
Lao-Tsé


O professor não ensina, mas arranja modos de a própria criança descobrir. Cria situações-problemas
Jean Piaget


O verdadeiro professor defende os seus alunos contra a sua própria influência.
Amos Alcott


Os professores abrem a porta, mas você deve entrar por você mesmo.
Provérbio Chinês


Um professor é a personificada consciência do aluno; confirma-o nas suas dúvidas; explica-lhes o motivo de sua insatisfação e lhe estimula a vontade de melhorar.
Thomas Mann


A primeira fase do saber, é amar os nossos professores.
Erasmo


Os alunos comem o que os professores digerem.
Karl Kraus


O professor sábio sabe que cinquenta e cinco minutos de trabalho mais cinco minutos de risada valem o dobro do que sessenta minutos de trabalho invariável.
Gilbert Highet


 

O que achou dessa Notícia?
7 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.