UEG - Câmpus de Iporá começa a formar em Gestão de Recursos Hídricos

05/07/2019
img-656905072019.JPG

A Universidade Estadual de Goiás – Câmpus de Iporá começa a formar os primeiros alunos em Gestão em Recursos Hídricos em nível de especialização. O curso é fruto de uma parceria dos professores dos Cursos de Geografia e Ciências Biológicas.


Na tarde de ontem – dia 04 de julho de 2019 as alunas Jaqueline Lima dos Santos e Daniela Brito Chagas defenderam seus artigos – etapa final de Curso. Nas Bancas estavam presentes os Profs. Thiago Rocha, Washington Silva Alves, Valdir Specian e Jefferson Eduardo Silveira Miranda.


A aluna Jaqueline fez um importante estudo sobre Estimativa de Coeficiente de Escoamento Superficial na Região Central de Iporá-GO, a pesquisa focou no estudo dos níveis de impermeabilização da área urbana de Iporá na Bacia do Córrego Tamanduá. O trabalho pode contribuir com a revisão do Plano de Diretor de Iporá, servindo de alerta, também, para um cenário futuro da ocupação das áreas verdes de Iporá e as consequências dessas ocupações.


No trabalho da aluna Daniela foi discutido a Importância da Disponibilidade Hídrica em Cana de Açúcar (Saccharum spp.) – artigo de revisão. O Estado de Goiás ocupa o segundo lugar em número de pivôs para irrigação no Brasil. Os dados oficiais da Agência Nacional das Águas (ANA) foram publicados pelo Jornal O Popular no dia de ontem (04/07). Segundo o Jornal O Popular já são 272.330 ha de área irrigada no Estado. Um dos grandes conflitos pelo uso da água é justamente pelo uso de culturas irrigadas. Muitos pivôs e bombas de captação de água dos rios não tem nenhum registro no Órgão Ambiental do Estado e/ou na ANA. O estudo da Aluna Daniela ajuda na orientação do uso (mais) sustentável da água para o cultivo irrigado da cana-de-açúcar.


Como início das defesas e finalização dos trabalhos, os cursos de Geografia e Ciências Biológicas, através da Especialização em Gestão de Recursos Hídricos - UEG/Câmpus de Iporá, contribuem para o formação de profissionais com capacidade de debater e propor soluções para a crescente crise de gestão de recursos hídricos. A meta, segundo o Professor Valdir Specian, é formar pessoas com capacidade de promover o desenvolvimento sustentável da nossa Região e do Estado de Goiás.


 

O que achou dessa Notícia?
9 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.