Amog está com novo presidente e muladeiros unidos para melhorar evento

25/03/2018
wilismar-alves-rosa24032018.jpg

Wilismar, o William: Novo presidente

“O que é bom pode ser melhor ainda”, é o que diz Wilismar Alves Rosa, conhecido como William, muladeiro que agora passa a ser o presidente da entidade que faz o grande evento de todo mês de janeiro em Iporá. A eleição na Associação dos Muladeiros do Oeste Goiano (Amog) serviu para pacificar completamente o grupo de doze pessoas aficionadas por muares e para que eles, juntos, possam traçar planos para a entidade.


No final do dia de quinta-feira passada, 22, os muladeiros estavam todos presentes na sede da entidade para a eleição e, em chapa única, elegeram os novos dirigentes. Entre os doze foi consenso para que William seja presidente nos próximos dois anos, tendo na diretoria Marco Antônio Rodrigues dos Reis (vice), Aristides Gomes do Nascimento (tesoureiro), Adail Luiz da Silva (segundo tesoureiro), Túlio Cabral (secretário) e Abelardo Júnior (segundo secretário).


Corival de Souza Vieira, atual presidente, coordenou o ritual de eleição e apurou-se unanimidade de votos para a chapa única. A posse foi marcada para a próxima quarta-feira, dia 28, na sede da entidade.
O atual presidente já repassou para o sucessor informações sobre a entidade. A Amog está com cento e nove mil reais em caixa, advindo do último evento; tem todas as despesas pagas e, sobre o recurso, o novo presidente anunciou que será usado para o dia a dia de manutenção do escritório sede e para preparação para o próximo Encontro Nacional de Muladeiros.


Ao falar com a reportagem, William afirmou que esse encontro nacional, feito com base na participação das comitivas pode melhorar ainda mais e essa será sua grande meta, com ações que fará, segundo ele, ouvindo todos os muladeiros sócios da entidade, tomando decisões conjuntas. Ele afirma que ouvir as comitivas é também uma prática que é necessária para saber o nível de satisfação de todos e poder melhorar o evento a cada ano.


Uma das questões que ele quer decidir de forma bem democrática é sobre grandes shows durante o evento, algo que divide opiniões e vai ser com base na preferência da maioria que isso será decidido. “Tem aqueles que gostam de grandes shows no evento e outros preferem mais silêncio, até para não estressar os animais”, afirma ele, reforçando que tudo precisa ser decidido com muito diálogo.

O que achou dessa Notícia?
13 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.