Iporá vence, mas sem os gols suficientes. Está eliminado do campeonato

24/06/2018
ipora-eliminado-da-serie-d24062018.jpg

Iporá no ataque tentou muito, mas esbarrou no goleiro Mauro Iguatú

Terminou na tarde deste domingo, 24, no Estádio Ferreirão uma campanha que foi surpreendente boa na Série D do Campeonato Brasileiro. O time do Iporá participou de três fase da competição, sendo que na primeira delas foi líder em número de pontos. Ninguém nega que a campanha foi extraordinária, levando-se em conta as modestas condições financeiras que estavam disponíveis para a diretoria.


Iporá venceu o jogo diante do Treze, mas o 2 x 1 não trouxe a diferença de gols que era necessária para avançar na competição. Era preciso de três gols de diferença ou dois para que houvesse disputa em penaltes. O resultado do primeiro jogo do mata-mata, realizado em Campina Grande, no dia 18, segunda-feira passada, foi de 2 x 0 para o time paraibano.


Diante de numerosa e participativa torcida, o Lobo Guará fez boa partida e até chegou aos 2 x 0, mas numa falha da zaga tomou o gol que impediu que o jogo fosse para as penalidades.


Histórico dos gols:


Gol de Ricardo Lima para o Iporá aos 15 m do primeiro tempo
Gol de Saulo para o Iporá aos 37 do primeiro tempo 
Gol de Marcelinho Paraiba para o Treze aos 47 do primeiro tempo


Escalações


Iporá: Clériston, Paulo Roberto (Leozinho), Luizão, Ricardo Lima, Bosco (Ferrugem) e Elizeu; Júnior Capixaba, Renato Xavier e Preto; Mayron (Marco Antônio) e Saulo. Técnico: Gilberto Pereira.


Treze: Mauro Iguatú, Alexa Travassos (Tallyson), Ítalo, Brumato e Coppeti; Zé Carlos, Leilson (Elielton) e Dedé; Leandro Love, Marcelinho Paraíba e Ceará. Técnico: Flávio José.


Apitou o jogo Felipe Gomes da Silva, do Paraná, auxiliado por Ivan Carlos e João Carlos.


O time do Iporá agora deverá ser desfeito para voltar a atuar no ano que vem em dois campeonatos: Goianão 2019 e Série D do Campeonato Brasileiro. Cabe a diretoria fechar as contas e organizar a parte financeira. A tarefa de custeio do campeonato não foi fácil. A CBF pagou as contas de viagem e estadia. No entanto, restou muito para o clube, principalmente, a folha de pagamentos dos atletas.

O que achou dessa Notícia?
5 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

2 comentários

  • Ademi Alves Santana 24/06/2018

    Complementando o que não deu para terminar o meu comentário:mas foi ótimo, excelente. Agora preparar para o próximo campeonato e o ano que vem novamente na série D com mais experiencia.
  • Ademi Alves Santana 24/06/2018

    Realmente meu camarada Valdeci Marques, escreveu tudo que foi o campeonato para o Iporá. Campanha excelente para um time que somente tem dois anos de campeonato profissional no Goianão. Estão de parabéns todos os atletas e comissão técnica, diretoria. Não deve de ser fácil administrar um clube com poucos recursos iguais ao do Iporá, somente com a garra mesmo. A cidade ainda não tem o suporte de manter uma equipe de chegada, falta patrocínio, um comercio e indústrias que ajudasse com patrocínios nesta parte financeira. Poderia ter seguido mais adiante, mas faltou equipe, peças de reposição. Houve a saída alguns atletas que fizeram falta, dois para o Vila, Vinicius Leite e Elias, Brandão para o Atlético e algum outro que não me recordo.Não podemos julgar os atletas que saíram por melhores salários e ascensão na carreira, mas deveriam ter feito um acordo de somente saírem depois do final do campeonato. Ma

Comente

Faça seu Login

Use sua conta do Oeste Goiano.