Espera-se retomada da obra de asfalto entre Diorama e Montes Claros. GOinfra faz estudo sobre todas as obras no estado que governo anterior não concluiu

15/05/2019
obra-paralisada-em-diorama-montes-claros15052019.jpg

Intercala-se trechos com asfalto e sem...

Em tempo de chuva, muita lama! Em tempo de sol, muita poeira! Em qualquer condição de tempo muita dificuldade de trafegabilidade na GO-174, trecho entre Diorama e Montes Claros de Goiás, em obra paralisada, onde a empreiteira Feizãozinho Ltda abandonou a execução da mesma, certamente temerosa das circunstâncias que envolvem transição de governo. Eram 21 quilômetros que ainda faltavam, mas ainda restam 11. São trechos intercalados, com asfalto e sem a pavimentação. Iniciou por Diorama, fez-se um trecho e ficou chão em seguida. Tem outro trecho que foi asfaltado logo a frente e, em seguida, mais trecho de chão.


A população tem reclamado muito quanto a essa pendência de décadas, especialmente produtores rurais da região. Foram algumas ocasiões em que falou-se em iniciar a obra e até outras vezes em que, de fato, teve início, mas nunca foi concluída. Com tanta problemática sobre o assunto, o trecho já virou piada, quando dizem da “obra da região que nunca termina”.


Recentemente, a prefeita de Diorama, Valéria Ferreira (PT) esteve com o presidente da GOinfra, Ênio Caiado, quando foi perguntar sobre a situação da conclusão do asfaltamento da GO-174. O que ele disse foi que em Goiás tem muitos casos como este, de obras paralisadas, e que todos os empreiteiros vão ser chamados para conversar sobre cada caso e, a partir de então, serão tomadas as decisões sobre cada uma destas.


Valéria Ferreira, a prefeita, em nome da comunidade dioramense e tantos produtores rurais; monstesclarenses que precisam recorrer a Iporá e tantos outros, esperam muito pela conclusão imediata da obra, mesmo sabendo das dificuldades financeiras do novo governo. Segundo Valéria, a obra é importante também para o contexto rodoviário estadual, pois ela interliga com asfalto as regiões de Iporá e Jussara, dando uma nova alternativa de rota rodoviária norte/sul e sul/norte. E o que falta são apenas 11 quilômetros.



Parte da rodovia conta com asfalto novo, mas sem sinalização de trânsito. Um perigo para quem trafega no periodo noturno.



Local onde não tem pavimentação asfaltica, torna um local de lama no periodo chuvoso e de poeira em época de seca.

O que achou dessa Notícia?
9 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.