Iporaense mostra que União não tem critério para distribuir auxílio emergencial. Veja a sua história

02/06/2020
moacir-augusto-da-fonseca02062020 (1).jpg

Moacir: Testou e provou que não há critério para Governo Federal distribuir auxílio

Moacir Augusto da Fonseca quis testar o sistema do Governo Federal que distribui nestes tempos de pandemia o auxílio emergencial, como forma de amenizar a crise econômica que veio em consequência do isolamento social para coibir a disseminação do Coronavírus.


Ele, que é homem de negócios, dono de vários imóveis, todos escriturados em seu nome, cujo CPF é plenamente conhecido da Receita Federal, contribuinte cujo o Imposto de Renda é significativo, acabou sendo escolhido para receber três parcelas de seiscentos reais (R$ 600,00).


Há vinte dias atrás, em uma roda de amigos, ele viu as pessoas contando que tinham recebido o auxílio emergencial. Naquele instante, já percebeu que nem todos que diziam ter recebido o auxílio, de fato, precisavam dele. Conjecturou, a partir de então, que o Governo Federal estaria esbanjando recursos, com critérios errados, sem cruzar uma base de dados sólida, e dinheiro que precisaria ir para quem realmente precisa, está sendo direcionado para pessoas que acabavam fazendo churrasco com o dinheiro recebido.


Na roda de amigos viu piadas sobre o assunto. Alguém disse a ele: “inscreva-se e você também recebe”. Moacir Augusto da Fonseca nunca pensou em tirar para si um dinheiro que é do próximo, de quem mais precisa. Mas para certificar-se sobre a ineficiência real do sistema, aceitou que alguém daquela roda colocasse o CPF e nome dele no aplicativo pelo qual se envia os pedidos.


Vinte dias depois recebeu o comunicado que o dinheiro estava em sua conta. Indignado com o Governo brasileiro, tratou se ver livre desse dinheiro destinado aos de baixa renda. Procurou o seu contador, o qual fez uma GRU (Guia de Recolhimento para a União). Com isso, a primeira parcela foi devolvida. Espera que não venha as duas parcelas seguintes. Se vier, fará o mesmo procedimento.


Moacir está indignado com o que viveu! Afirma que jamais aceita um dinheiro desse e percebe que alguns, que possuem bens, usam do dinheiro para fazer churrasco. E sua indignação maior é a de saber que pessoas que precisam, muitas vezes não conseguem o auxílio emergencial. “Este é Brasil que vivemos, lamentável”, afirma ele.



Guia feita pela qual Moacir devolveu o auxílio à União a fim de que seja usado por quem, de fato, necessita

O que achou dessa Notícia?
17 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

1 comentário

  • luciano martins barbosa 02/06/2020

    Parabéns pela iniciativa. Realmente o governo está deixando a desejar nesse cruzamento de dados, e muito desse dinheiro está sendo muito mal utilizado. Situação que deveria ser revista. Existem pessoas com mandado de prisão recebendo, empresários recebendo, filhos de família com rendimentos altos estão recebendo, etc. Mas o que é pior? Uma pessoa que sabe que não precisa e faz o cadastro para receber, ou o erro do governo?

Comente

Faça seu Login

Use sua conta do Oeste Goiano.