CAIAPÔNIA: Surge gravação em que vereador negocia voto em Impeachment

26/03/2020
vereador-gravado-em-caiaponia26032020.jpg

Calistão, em foto da urna eletrônica nas eleições de 2016

Concluído o processo de cassação em Caiapônia que afastou do cargo o prefeito Caio Lima, surge uma “bomba” na cidade. Um dos vereadores que estava no grupo de adversários do prefeito foi gravado em uma conversa na qual tentava obter vantagem financeira para mudar seu voto, o que o faria tomar posição diferente e salvar o prefeito da cassação.


Afastado do cargo, Caio Lima afirma que toma atitudes ao mostrar o jogo político de que foi vítima. Além de ação na Justiça para mostrar a fragilidade das duas denúncias apresentadas contra ele, recorreu ao Ministério Público, onde através de ofício de 23 de março mostra para a Promotora Dra. Terezinha de Jesus que a gravação é um dos fatos que evidencia o fator apenas político no processo que o afastou do cargo. Nesse sentido, requer que os vereadores sejam afastados de seus cargos para que investigações possam ser feitas sem a interferência de estarem estes na condição de vereadores. Requer ainda que sejam proposta ações de improbidade administrativa e de natureza criminal. O prefeito afastado pede as necessárias providências para instaurar os procedimentos cíveis e penais cabíveis para elucidação dos fatos. José Batista Peres, o Calistão, vereador que foi gravado na conversa com outra pessoa em que fazia gestão para que o prefeito fizesse chegar dinheiro a ele para mudar o voto, é alvo desta denúncia. Mas a investigação é pretendida também para os demais 7 vereadores adversários do prefeito afastado: José Bernardes de Oliveira, Benjamim Sobrinho de Souza, Heber Martins Silva, Iara Dalila Tavares Duarte Medeiros, Jamilton Pereira Morais, José Neto dos Santos e Walério Rodrigues dos Santos.


Era o dia 18 de novembro de 2019 quando o vereador gravado em conversa visitou um amigo, que seria pessoa próxima de Caio Lima, ao qual quis que desse recado ao prefeito, solicitando a vantagem financeira. O amigo do prefeito que fez a gravação, durante visita que recebeu do vereador, não deu andamento na solicitação recebida. Ao invés disso, entregou a gravação da conversa para o prefeito. Nesta data de conversa gravada, a ação de cassação já tinha andamento na Câmara Municipal de Caiapônia.


Toda a gravação foi anexada na denúncia. Em mãos da promotora, o caso terá certamente desdobramentos. Voltaremos a esse assunto. Se qualquer dos aqui citados quiseram manifestar a respeito, o OG tem espaço aberto.

O que achou dessa Notícia?
22 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.