Micro-empresário espera na Justiça direito de reaver bens após ação de despejo

25/09/2019



O POVO COMENTA ESSE CASO DE DESPEJO:


Valdivino Marques Quando tudo dá errado:o exemplo de Jó. é a nossa Esperança,nossa Força é nossa Fé .

Valteides Marques Amém

Shara Jesus
Shara Jesus Valdivino Marques é Tania..Deus está sempre do lado certo e vcs são o lado certo..pode até demorar, mas a justiça será feita em nome de Jesus. Torço muito por vocês...amo cada um de vcs.


Elizabeth Braga Souto
Elizabeth Braga Souto Um absurdo! Isso não é justiça e sim injustiça. O Poder Judiciário está apodrecido e fétido. Os juízes e magistrados só tem interesse nos seus salários e mordomias. Temos que dar um basta indo para as ruas reivindicar nossos direitos.

Valdomiro Alves
Valdomiro Alves Que nossa justiça se faça de verdade para que pessoas trabalhadoras seja respeitadas como tais...

Maria Sélia Nikkel
Maria Sélia Nikkel Amém

Violeiro Jonas Paulo
Violeiro Jonas Paulo A justiça será feita e colocada em favor de vocês Valdivino Marques. Eu confio e acredito. Sei que a humanidade é muito falha e dá descrença em assistir tamanha falta de respeito com você e família, que são dignos de respeito e uma assistência MAIOR vinda da Igreja, sociedade Iporaense, poder público e é claro dos srs. Juízes dessa comarca. Jamais poderiam permitir o que fazem com vocês. Estou indignado!!!!!!

Valdivino Marques
Valdivino Marques Obrigado a todos pelo apoio é aos Amigos, ,Sempre nas minhas Orações eu peço para Deus que mim dá para minha Família Só o suficiente para viver, É aí vem a justiça leva o suficiente para nós viver , o que aconteceu com nós eu não quero Nem para pior inimigo meu.

Eliene Marques
Eliene Marques Amém

Alipio Alves
Alipio Alves Fique tranquilo meu amigo, coloque nas mãos de Deus e a justiça certa virá. Essa não falha, essa sim está do lado do trabalhador e de quem está sempre buscando a Deus!!! Vai dar tudo certo!!!


A Justiça precisa decidir sobre a intenção que um micro-empresário de Iporá tem de reaver bens após uma ação de despejo. O micro-empresário é Valdivino Marques, que por alguns anos manteve na Avenida Pará, saída para Goiânia, a Churrascaria e Lanchonete Center Suco.


No local que alugava para tocar seu comércio ele foi surpreendido no ano passado com uma ação de despejo. Segundo ele, não porque devesse aluguel. Mas porque o imóvel estava em disputa entre duas outras pessoas. Enquanto Valdivino Marques tinha contrato de aluguel no valor de 5,15% do salário mínimo com um deles, um outro que alegava ser o verdadeiro dono do prédio, ganhou na Justiça o direito de posse. Com isso, veio a ação de despejo sobre o comerciante.


Segundo Valdivino, ao ser despejado bruscamente, teve que deixar para trás coisas de valor que não puderam ser tiradas do prédio. O que ele agora pede na Justiça é o direito de ter de volta coisas que, segundo ele, são suas e que lá estão no prédio onde empreendeu com a Churrascaria e Lanchonete Center Suco.


A data de hoje é para julgamento do assunto, em ação entre as duas partes que alegam propriedade sobre o imóvel. Com uma destas, Valdivino Marques tem relacioanento que permitira acesso aos seus bens ainda no prédio. São climatizador, churrasqueira, etc... O micro-empresário Valdivino Marques procurou a imprensa da cidade para contar a sua história. Ele relata que tem vividos dias ruins, com a vida profissional parada e espera um desfecho que possa dar a ele condições de retomar a sua vida profissional.


Valdivino ainda relata que chegou a haver uma decisão da Justiça para que pudesse ter seus bens de volta, mas a outra parte recorreu. Com tudo isso, Valdivino passou a viver dias que, segundo ele, foram de depressão, de vergonha e que até afetaram a sua saúde.


O micro-empresário ainda relata que chegou a ser convencido a fazer um acordo, no qual foi recompensado financeiramente, mas em valor que não compensa o tanto que perdeu e que interrompeu sua vida de micro-empresário.

O que achou dessa Notícia?
12 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.