Prefeito de Cachoeira tem bens bloqueados por irregularidade na saúde

26/08/2019
geraldo-neto-prefeito-de-cachoeira-b26082019.jpg

Geraldo Neto, prefeito de Cachoeira de Goiás, cidade desta região

Acolhendo pedido do Ministério Público de Goiás (MP-GO), a juíza Bianca Melo Cintra decretou a indisponibilidade de bens do prefeito de Cachoeira de Goiás, Geraldo Antônio Neto, da ex-secretária de Saúde, Miliane Karen Silveira e Souza, o fazendeiro Eudes Pereira Vargas, até o limite de R$ 7.100,00 (leia aqui a decisão). Esse é o valor estimado do dano causado aos cofres públicos, em razão do esquema montado por eles para a compra de reses, que incorporaram o patrimônio do prefeito, mas que foram pagas utilizando verbas do Fundo Municipal de Saúde, na época, gerido por Milane Karen.


De acordo com ação proposta pelo promotor Murilo Frazão, da comarca de Aurilândia, em 2017 o prefeito comprou um lote de animais bovinos, de Eudes Pereira, realizando o pagamento por meio de móveis diversos, adquiridos em São Luís de Montes Belos, e pagos com verba pública do Fundo de Saúde.


Segundo apuração do MP, armários, cadeiras, cama, colchão, depurador, guarda-roupas e sofá e outros itens que custaram cerca de R$ 7 mil foram entregues diretamente na casa do fazendeiro, no município de Córrego do Ouro. Comprovantes de transação bancária estavam no nome de Miliane, como responsável pelo pagamento dos móveis adquiridos para fins particulares.

O prefeito e auxiliares tem espaço neste site se quiserem manifestar sobre o assunto.

Com informações do site do MP, por meio de Cristiani Honório / Assessoria de Comunicação Social do MP-GO.

O que achou dessa Notícia?
24 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.