Com Iporá sem Carnaval vizinhos e amigos improvisaram lazer

26/02/2020
carnaval-em-ipora-202005032020.jpg

Uma enquete feita pelo Oeste Goiano mostra que ir a Caiapônia para brincar o Carnaval não foi a forma preferida dos iporaenses suprirem a falta da maior festa popular na cidade.
Sem a festa que faz sempre a alegria de grande multidão, a opção mais adequada aos iporaenses foi reunir vizinhos e amigos e improvisar uma outra forma de se divertir nestes dias de feriado.
Foram 50% que disseram que assim estariam agindo. A possibilidade de ir a Caiapônia curtir o carnaval público foi manifestada por 39,47%.
Foi feita a seguinte pergunta:


Sem Carnaval em Iporá, você que gosta da folia opta por:


Respostas


• 39.47% Ir a Caiapônia, grande evento no Lago dos Buritis
• 0.00% Arenópolis, com Banda Mileator
• 2.63% Aurilânida, com Dj e vários shows
• 7.89% Britânia, shows nas margens de um lago natural
• 50.00% Criar alternativa local, com evento restrito entre vizinhos e amigos


Tristeza no Lago de Iporá


Na noite deste sábado de Carnaval, 22, o ambiente era de tristeza no Lago Pôr-do-Sol, em Iporá.


Um local que por muitos anos, nestas ocasiões, em uma noite de sábado de Carnaval, é sempre com multidão, muito som, shows e grande multidão, registrava-se um desalento entre todos os comerciantes e alguns visitantes que apareceram por lá.


Entre mais de 10 comerciantes que estavam preparados para a venda de bebidas e até alimentos, mostravam o aborrecimento com a falta da festa. Todos eles prepararam grande estoque para comercialização e, de última hora, a decisão de não se ter a festa.


Dentre os que apareceram no Lago, alguns quiseram ligar som automotivo, logo interrompido com a presença da PM, já que tem proibição também neste sentido.


Uma das comerciantes, Eliene Rocha, do Bar Altas Horas, manifesta o descontentamento de não poder vender seus produtos e ainda um outro descontentamento pois não é permitido aos donos de bares no Lago que se crie uma alternativa de evento para atrair o público. Ela nos afirmou que “se não pode ser feito o Carnaval, pelo menos poderia dar a liberdade para os comerciantes de se inovar em alguma forma de lazer e devia-se permitir o som automotivo, pois as pessoas querem brincar o Carnaval e isto não está sendo possível, com muito descontentamento entre todos”.


O prefeito alegou questões judiciais para não fazer a festa. O OG pediu a ele que mostrasse esses documentos, mas até agora não fez isso. Sem Carnaval, muitos iporaenses que gostam da festa estão saindo da cidade para se divertir em outros municípios.

O que achou dessa Notícia?
8 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.