Barragem da Saneago perde cerca de 45% de água nos últimos 30 dias

06/06/2018
saneago-e-crise-hidrica06062018.jpg

Visita a barragem para medição de vazão

De uma vazão de 1.182,87 litros por segundo para uma vazão, agora, de 608,64 litros por segundo. Essa foi a constatação feita. A perca em um mês foi de cerca de 45% no volume de água que verte sobre a barragem de onde a Saneago capta a água que abastece a cidade de Iporá. A lâmina de água no vertedouro é atualmente igual a 09 cm. A medição foi feita ontem, terça-feira, dia 5 de junho, dia do meio ambiente. Na verdade, 35 dias após a última medição, feita em 2 de maio. Em período sem chuva, o decréscimo no volume de água foi significativo.


Saneago e um grupo de ambientalistas foram mais uma vez a barragem para medição da vazão. Isso tem sido feito mensalmente, para verificar as condições de um córrego que na estiagem passada chegou a não conseguir abastecer plenamente a cidade. Chegou a faltar água em Iporá em alguns pontos de Iporá, em alguns dias. Diante da possibilidade de nova crise hídrica, observa-se o córrego Santo Antônio.


Na visita feita a barragem na tarde desta terça-feira estavam o chefe da regional da Saneago, João José Gomes Dias; secretário de meio ambiente, Alexandre Teixeira; dois vereadores, Marinho da Mata e Paulo Alves; e representantes de unidades de ensino: professor Fonseca e Marluce Caetano (FAI), Saulo Henrique e Alex Batista Moreira Rios (UEG) e Dérick Martins, fiscal da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Secima), além de outras pessoas e da reportagem do Oeste Goiano.


Essas ocasiões mensais de visita a barragem são também para troca de informações sobre o que tem sido feito para a recuperação da bacia do córrego que abastece a cidade. Alexandre Teixeira, o secretário de meio ambiente no município, informou que o cronograma de ações continua em desenvolvimento, agora com breve fiscalização conjunta na bacia, a ser feita por PM ambiental, Secima e a própria Saneago para impedir o uso irregular da água do córrego Santo Antônio. Disse sobre dois cursos na área ambiental: um já realizado sobre preservação de nascentes e outro datado para julho sobre recuperação de matas ciliares.


Alexandre Teixeira disse que um levantamento anterior que o Ministério Público fez sobre a bacia do Santo Antônio está agora de posse da secretaria e tem sido útil no trabalho de recuperação.


Dérick Martins, fiscal da Secima, disse que o cargo que ocupa o permite ter acesso ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) de cada produtor na bacia do córrego e isso facilita para a identificação de ações ambientais ilegais que, porventura, estejam ocorrendo na bacia do Santo Antônio. João José Gomes Dias, chefe da regional da Saneago, disse que a empresa assumiu a recuperação de três nascentes dentro da área da bacia. Ademilton Pires, da área de comunicação da Prefeitura de Iporá, informou que naquele momento da visita a barragem, o prefeito Naçoitan Leite estava em Goiânia, em visita a chefia estadual da Saneago, cuidando exatamente desse assunto referente a recuperação do córrego.


Está marcada para os primeiros dias de julho (daqui 30 dias) uma nova visita, medição e avaliação sobre a situação do Santo Antônio, manancial que abastece a cidade.

O que achou dessa Notícia?
12 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.