Corpo de Bombeiros inicia corte de Palmeira Imperial em Iporá

29/06/2018
palmeira-imperia-capal29062018.jpg

A Palmeira Imperial ou Palmeira Real é uma espécie exótica, cujo primeiro exemplar foi plantado no Brasil por Dom João VI em 1809 no Jardim Botânico do Rio de Janeiro.


Essa primeira planta provavelmente deu origem a todas as outras do país. Ela foi destruída por um raio em 1972, já com 163 anos de vida.


Uma palmeira imperial pode viver centenas de anos em condições adequadas, alcançando entre trinta e quarenta metros.


Essa semana o corte de um velho exemplar desta árvore em Iporá tem causado curiosidade e protestos.


Segundo o Professor e Historiador Moizeis Alexandre Gomis a palmeira da Av. Dr. Neto foi plantada aproximadamente em 1970 na casa recém construída pelo Sr. Geraldo Galvão, completando em 2018 prováveis 48 anos de vida.


Entre comentários de “já estava na ora!” e “isso é um absurdo!”, a população passa com pescoço arqueado para trás, mãos tampando o sol dos olhos e boca aberta, observando o trabalho do Corpo de Bombeiros na quase cinquentenária palmeira.


Mas por quê cortar essa árvore? Por quê o Corpo de Bombeiros?


A Palmeira Imperial é árvore de grande porte, com folhas grandes, entre 3 e 5 metros de até 30 kg de peso, isso sem falar no cacho de flores, que pode alcançar até 1,5 metros e tem peso considerável.


Por tal motivo, é uma planta incompatível com passeios públicos, espaços reduzidos próximos a edificações, redes de energia elétrica e locais com grande circulação de pessoas e carros.


A queda de qualquer parte dessa árvore é potencialmente perigosa para pessoas, edificações e veículos.


A velha palmeira de Iporá já apresenta sinais de envelhecimento e perda de vigor, visíveis em sua casca deteriorada, no afinamento e deformação do tronco, assim como diminuição do tamanho de sua copa.


Esse envelhecimento precoce pode estar relacionado a sua localização em área pouco permeável a água das chuvas, exposição a poluição da grande quantidade de veículos que transitam no local, ao ataque frequente das folhas por larvas de insetos, etc.


Por tais motivos, após autorização da Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Iporá, o Corpo de Bombeiros iniciou o corte da referida árvore.


O corte de árvores é atividade realizada pelo Corpo de Bombeiros, enquadrando-se em atividades de salvamento e de Defesa Civil, desde que alguns requisitos sejam cumpridos:
1) a árvore deve apresentar sinais de morte, doença ou grande risco de queda devido a inclinação ou enfraquecimento do solo.
2) o corte deve ser de grande dificuldade, envolvendo técnicas e materiais específicos da atividade bombeiro. Se o corte puder ser realizado por outras pessoas, com espaço para derrubar galhos e tronco, uso de técnicas simples de corte e materiais comuns como machado e moto serras, o Corpo de Bombeiros não realiza o corte.


Caso a população de Iporá e região verifique a existência de situações semelhantes, basta solicitar ao Corpo de Bombeiros uma inspeção nas árvores, que será realizada por especialista. Se for constatada a necessidade de realizar o corte, o mesmo será feito o mais brevemente possível.


 


O que achou dessa Notícia?
23 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.