Estão colocando fogo na cidade. Denuncie pelo 3603-7200

09/07/2019
whatsapp-image-2019-07-07-at-214025-2-09072019.jpeg

O período seco, o grande acúmulo de folhas e a falta de consciência de muitos são os principais fatores para diversos focos de incêndios que estão acontecendo em todos os bairros da cidade. Muitos ainda insistem em colocar fogo no lixo e em lotes baldios. Em alguns casos, o fogo se espalha e ameaça residências e animais.


O problema é cultural. Mesmo com dispositivos no Código Municipal de Postura que proíbe e decreta penalidades, a falta de fiscalização e multas incentiva moradores a preferir queimar o lixo a armazenar.


No mês de junho, o Corpo de Bombeiros registrou em média três ocorrências por dia. A questão se repete todos os anos. Há moradores que protestam, reclamam e por conta própria apagam o fogo provocado pelo vizinho. Os Bombeiros explicam que nesses casos, apenas se enxerga o volume da biomassa que diminui e não os efeitos da fumaça, e também os pequenos animais que são desalojados indo procurar meio de se abrigar em quintais de residências.


Apesar do trabalho de conscientização, o problema se repete. Além da questão ambiental, a fumaça provoca desconforto e até agrava situações de alergias e dificuldade de respiração. E cada vez que os Bombeiros são acionados para apagar um fogo provocado, gera despesa para o contribuinte e outra ocorrência grave fica com atendimento comprometido. A corporação em conjunto com órgãos do meio ambiente trabalha em algo punitivo como multas, pois isso é crime com previsão de multa e detenção.


Veja declaração da Secretaria de Meio Ambiente sobre o assunto.


Secretaria de Meio Ambiente alerta munícipes para os riscos de queimadas em Iporá


Queimadas em área urbana e rural são caracterizadas como crime ambiental. O proprietário de terrenos urbanos que colocar fogo em folhas, lixo ou madeiras e resto de vegetação, poderão ser multados e a prática pode chegar até detenção.


A prática de queimar lixo doméstico, vegetação, entulhos ou qualquer outro material é comum em quase todas as cidades brasileiras. No entanto, o que muita gente não sabe é que se trata de um crime e o infrator, se denunciado, poderá ser multado ou até preso. A prática irregular está prevista na Lei de Crimes Ambientais (9.605 de 13 de fevereiro de 1998) e, em Iporá, o morador flagrado poderá ser multado de acordo com o Código municipal de Meio Ambiente Lei N. 1.725/2019.


Para coibir a queima irregular no município, a equipe de Fiscalização da Prefeitura realiza periodicamente visitações e rondas pela cidade. Em caso de flagrante, ou constatada as irregularidades, os infratores poderão ser autuados conforme estabelecem as leis. “Esperamos mudar o hábito de queima do lixo doméstico e a utilização do fogo para limpeza de lotes baldios com esse trabalho de orientação”, explicou o secretário de Meio Ambiente de Iporá, Alexandre Teixeira Lopes.


Além de crime ambiental, a prática causa transtornos e danos à saúde da população. O cidadão que quiser denunciar a ação pode acionar a equipe de fiscalização da Prefeitura pelos telefones da Prefeitura Municipal (3603-7200) ou diretamente no setor de meio ambiente ramal (223) ou pelo WhatsApp (064) 98408-2235.


 

O que achou dessa Notícia?
10 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.