Mais um ciclo encerrado em projeto contínuo de produção de mudas nativas

18/06/2019
cdhg18062019.jpg

Sábado, dia 15 de junho, a equipe do projeto de extensão PRODUÇÃO E PLANTIO DE MUDAS NATIVAS DO CERRADO – UEG/Cãmpus Iporá encerrou as atividades coletivas do primeiro semestre/2019 com mutirão no viveiro. Para este mutirão foram desenvolvidas atividades de manutenção do viveiro, como manejo das mudas, retiradas de lixo e poda de árvores que estavam sombreando as mudas que necessitam de sol para seu desenvolvimento. Ao longo deste semestre a equipe, coordenada pela professora Viviane de Leão Duarte Specian, realizou diversas atividades de Educação Ambiental para a formação docente. O grupo discente envolvido inclui representantes de todos os cursos de licenciatura da UEG Câmpus Iporá (Ciências Biológicas, Geografia, História, Letras e Matemática) que participaram das seguintes atividades:


- Encontros presenciais de formação docente em Educação Ambiental popular;
- Ações de manejo de mudas e manutenção do viveiro do projeto;
- Mutirão para coroamento e coleta de lixo no Parque Municipal Ecológico.


Além das atividades citadas acima os discentes envolvidos participaram de duas ações de plantio em propriedades particulares. A primeira ação, neste sentido, aconteceu em abril após convite de Sônia Luiza Santos Teles, diretora da Escola Municipal Valdivino Silva Ferreira. O projeto colaborou nesta ação com doação de mudas de várias espécies e plantio das mesmas na área escolhida pelos envolvidos na ação de Educação Ambiental desenvolvida na escola. A segunda ação aconteceu em maio na propriedade de Dilma Leite Morbec. O projeto Produção de Mudas colaborou com doação de algumas mudas e plantio. O projeto que está em andamento na propriedade tem o objetivo de recompor a vegetação que protegerá áreas com nascentes e área de várgea que fazem parte da mata ciliar do Córrego Seco, afluente do Córrego Cachoeirinha que por sua vez desagua no Ribeirão Santo Antônio. Várias são as estratégias para recompor a vegetação desta área, nucleação e plantio de adensamentos são algumas destas estratégias utilizadas. O projeto foi elaborado e colocado em prática por Valfrido Morbec Barros e sua filha Aline Morbec, ambos agrônomos. Para o dia de plantio contamos com a colaboração de Celma Morbec, esposa de Valfrido e Olavo Carvalho de Lima, técnico administrativo da UEG.


No segundo semestre, a equipe iniciará o ciclo de atividades relacionadas aos processos de coleta, triagem, armazenamento, quebra de dormência e semeadura de sementes da flora nativa do Cerrado; mobilização da comunidade para arrecadar sementes; o desenvolvimento de atividades de Educação Ambiental com alunos da Educação Básica; e atividades no Parque Municipal Ecológico de Iporá.

O que achou dessa Notícia?
7 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.