Relembrando 10 mil mudas distribuídas por colégio de Iporá

23/06/2020
slide1-1-23062020.JPG

Neste mês do meio ambiente estamos veiculando matérias especiais sobre o assunto. Neste momento, vamos relembrar o Colégio Estadual Ariston Gomes da Silva, entre os anos de 2013 e 2016, quando produziu milhares de mudas e as distribuíram para a região.


Marcou época naquele estabelecimento as ações de educação ambiental, deixando um legado que muito contribuiu, não só com Iporá, mas com a região.


A Educação Ambiental (EA) é um termo utilizado para se referir a diversas maneiras de se tratar e debater as questões ambientais no Brasil. Quando se fala em escola, a EA pode ser compreendida como uma maneira ou conjunto de conhecimentos e práticas que possibilitam abordar temas de meio ambiente e sociedade. E essa abordagem deve levar a todos os sujeitos participantes dela a refletir sobre seus atos em relação aos assuntos que serão trabalhos para, desta forma, serem capazes de mudar pontos de vista e hábitos que causam danos ao meio ambiente, a si mesmos e a outras pessoas.


Assim, a EA nas escolas pode ocorrer na forma de projetos, disciplinas, trabalhos avaliativos, palestras e aulas campo. Quanto mais simples, bem planejada e duradoura for a proposta de EA escolar, mais transformações positivas poderão ocorrer na formação dos estudantes e de todas pessoas envolvidas no processo.


Nesse sentido, dois projetos de EA que foram realizados em um colégio estadual localizado no município de Iporá merecem destaque: o Produção de mudas e o projeto Gota a gota.


Essas iniciativas foram lideradas pelo professor Alex Batista Moreira Rios e um grupo de estudantes do Colégio Estadual Ariston Gomes da Silva, que ultrapassaram os limites desta instituição e alcançaram a comunidade iporaense e região.


O projeto Produção de mudas consistiu em ensinar os estudantes participantes a coletar, selecionar e cultivar sementes de plantas nativas do Cerrado, bem como cuidar e plantar as mudas que se nasceram no viveiro do colégio. Ao longo dos anos de 2013 a 2016 mais de 10 mil mudas foram produzidas e distribuídas na comunidade, em mais de 10 municípios goianos e localidades dos estados do Pará, Paraná e Mato Grosso. As mudas produzidas foram utilizadas na recuperação de áreas degradadas, arborização na cidade e construção de pomares.


A partir de 2017 esse projeto foi transferido para a Universidade Estadual de Goiás, Unidade Universitária de Iporá. Desde então, esse projeto também passou a ser utilizado para formar professores em EA por meio da produção de mudas de plantas nativas.


Já o projeto Gota a gota teve como objetivo levar os estudantes envolvidos a refletir e mudar hábitos de consumo de água no colégio. Para isso, eles participaram de todo o processo de planejamento, construção, uso e manutenção de dois coletores de água liberada dos ares condicionados da instituição. Essas atividades ganharam grande notoriedade no município e na Secretaria Estadual de Educação durante o ano de 2016.


Os diferenciais dessas propostas de EA foram o apoio da equipe gestora, a boa interação entre o professor idealizador dos projetos e os estudantes, que agiram com muita responsabilidade e interesse. Esses fatores foram fundamentais para que essas iniciativas de EA fossem desenvolvidas e produzissem bons resultados.


Além disso, essas propostas exemplificam a importância de se desenvolver EA nas escolas, pois os resultados podem valer muito a pena e todos saem ganhando.

O que achou dessa Notícia?
9 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.