Chego com muita disposição de trabalhar em Iporá e de aprender, afirma o jovem delegado em visita ao OG

07/04/2021
delegado-bruno-de-paula-ferreira07042021.jpg

Delegado Bruno: "Tenho amigos aqui, inclusive, amigos na Polícia. Então, isso é motivador e faremos um bom trabalho".

Bruno de Paula Ferreira, novo delegado em Iporá, tem feito algumas visitas para segmentos da sociedade iporaense. Na tarde desta terça-feira,  6, passou pela redação do Oeste Goiano, onde chegou acompanhado do policial civil Walter Queiroz. 


Bruno de Paula é um jovem do último concurso de delegado, filho de policial militar e que passou a infância em Iporá. Ser nomeado para titular da Delegacia Municipal é algo que ele queria. Esteve em Montes Claros de Goiás, numa primeira lotação, agora em Iporá, sente-se feliz numa cidade que gosta e onde pretende atuar por muito tempo. 


Entrevista


OESTE GOIANO – Como o senhor recebe a Delegacia em termos de material humano e estrutura física e como toca daqui para frente este trabalho na Delegacia Municipal de Iporá?
DELEGADO BRUNO DE PAULA FERREIRA - A partir do momento que eu tive a notícia de que ia atuar em Iporá fiquei muito feliz. Feliz porque conheço a cidade, morei aqui por bastante tempo, minha família fez parte da segurança pública aqui. Estou chegando com muita vontade de trabalhar e, ao mesmo tempo, aprender. Esta Delegacia de Iporá é formada por servidores competentes. Tem policiais que tem muitos anos no serviço. Estou entrando agora e entro para aprender e vou somar porque o cidadão iporaense, o pagador de impostos merece essa resposta do nosso trabalho policial 


OESTE GOIANO –  O volume de serviços em Iporá, inquéritos, enfim, mostra trabalho acumulado ou atrasado?
DELEGADO BRUNO DE PAULA FERREIRA – Não, não tem trabalho acumulado em Iporá porque os delegados que passaram por aqui trabalharam muito. Hoje, somos dois delegados aqui. Eu estou na Delegacia Municipal e Dr. Eric está na DEAM e nos grupos de combate a homicídios e drogas. Possivelmente, um novo delegado vai vir para Iporá para assumir a DEAM e a tarefa vai ficar bem distribuída. E não há acúmulo, nem haverá e vamos trabalhar com dedicação nos inquéritos a serem encaminhados ao Poder Judiciário. 


OESTE GOIANO – O fato de ter tido infância em Iporá o motiva ainda mais para atuar nesta cidade e a ficar por aqui em permanência duradoura?
DELEGADO BRUNO DE PAULA FERREIRA – Sim. Motiva. Sem dúvida. Eu terminei o ensino médio em Iporá. Cheguei aqui aos 11 anos. Passei a adolescência aqui e só fui embora para estudar. Volto, tenho amigos aqui, inclusive, amigos na Polícia. Então, isso é motivador e faremos um bom trabalho. Quando minha primeira lotação saiu, eu não escolhi cidade. Eu escolhi região, trabalhar na 7ª. Regional, que é a de Iporá. E aí sabia que mais cedo ou mais tarde estaria vindo para Iporá. Fiquei em Montes Claros e sessenta dias depois estou vindo para cá. 


OESTE GOIANO -  Em tempos de pandemia, o policiamento civil também tem muitas atribuições quanto a pandemia e exigência do respeito às medidas sanitárias. Que foco o senhor traz neste sentido?
DELEGADO  BRUNO DE PAULA FERREIRA - O Supremo Tribunal Federal decidiu que as prefeituras tem autonomia para agir e estas prefeituras geralmente seguem Decreto Estadual e o Estado nos solicita que as forças policiais cooperem no cumprimento das medidas sanitárias e que se evite abusos. A Polícia Civil fará seu papel de repressão nesta época de Covid-19.



Visita a redação do OG e entrevista

O que achou dessa Notícia?
9 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.