Três delegados sobrecarregados de ações no combate a criminalidade

03/09/2019
falta-de-delegado03092019.jpg

Crimes, investigações a serem feitas e muitas problemas, bem acima da possibilidade de três delegados que atuam em municípios da região. O tempo passa e o déficit de material humano na Polícia Civil continua, com poucos delegados e equipes diminutas, diante de uma demanda muito grande de trabalho.


Três delegados que atuam nesta região estão com a responsabilidade de diversas cidades. São nomeados para certos municípios, mas em razão da falta de delegados acumulam outras cidades em sua área geográfica.


A rotina de trabalho dos delegados Ronaldo Pinto Leite, Ramon Queiroz e Ricardo Galvão é daquelas de ter que se desdobrar ao extremo. O delgado Ronaldo coordena o Grupo de Repressão a Narcóticos e é delegado de Israelândia, Jaupaci, Amorinópolis e Diorama. Ramon é delegado responsável por Iporá, Montes Claros de Goiás, Caiapônia, Palestina e Doverlândia. Ricardo é delegado em Aragarças, mas precisa se desdobrar para atender Bom Jardim de Goiás, Baliza, Piranhas e Arenópolis.


Sobre essas sobretarefas de delegados o jornal O Popular fez matéria recente, na qual citou que o governador Ronaldo Caiado ainda não autorizou o chamamento de concursados deste ano que passaram por homologação no primeiro semestre.


São 80 delegados disponíveis para tomar posse. Falta agilidade do governo para chamamento e nomeação. Os deputados Humberto Teófilo (PSL), Adriana Acorsi, Eduardo Prado (PV) e ainda Lissauer Vieira (PSB), que é presidente da Assembleia Legislativa , estão cobrando do governador a nomeação imediata de novos delegados, até porque concurso público tem prazo de vencimento.


Diante de uma criminalidade que não dá trégua, o assunto se torna urgente.

O que achou dessa Notícia?
19 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

1 comentário

  • celmar da cunha rocha 04/09/2019

    Essa é uma conta que só vai fechar o dia que bandidos, parar de gerar e dar trabalho as policias, se culpados ficassem pressos no primeiro processo, com certeza as autoridades conseguiria realizar os trabalhos com menos tempo.

Comente

Faça seu Login

Use sua conta do Oeste Goiano.