CASSAÇÃO: Quando a baixeza política atropela fatores humanos

06/03/2020
caio-pereira-lima-caiaponia-edc06032020.jpg

Caio Lima (foto do jornal O Mais Positivo)

O respeito ao próximo, enquanto ser humano, precisa estar acima de tudo, mesmo na adversidade política entre duas partes. Ir de forma agressiva ao lado pessoal é baixeza. O processo de impeachment em Caiapônia, que na quinta-feira passada, 5, cassou o mandato do prefeito Caio Lima (PP) foi recheado de tensão, momentos em que o debate de ideias e o ato fiscalizador que teria que ser a essência na atuação de um vereador, foi deturpado por manifestações em que pareceram conter muito ódio!


Em um dos trechos de seu discurso, o vereador José Bernardes (MDB), um dos opositores, disse:


...dia em que vossa excelência, prefeito Caio Lima, chegou nesta cidade, com planos de fazer morada permanente, enviado por Satanás, um anjo de luz, caído e expulso do Édem, anjo enganador, mentiroso, traidor, covarde e muitos outros atributos. Hai de todos aqueles que são seus seguidores, que vivem na mesmas práticas...


E a oposição política entre as partes descambou para muitas outras palavras das quais transbordavam sentimentos negativos... Ora, por que não apenas ir ao mérito das denúncias e exercitar a fiscalização, de forma serena? Processos de impeachment são, em muitos casos, um jogo de poder. Pode haver, de fato, o erro do administrador. Mas pode haver um jogo de poder, muito frequente na relação entre Executivo e Legislativo quando o eleito para o primeiro poder não tem maioria parlamentar no segundo poder.


Sobre seu processo de impeachment o agora, ex-prefeito Caio Lima, disse o seguinte:


“Foi pura perseguição política. Esse foi um processo administrativo dentro da Câmara, votaram com ódio e perseguição. Eu sabia que lá não teria chance. Não foi improbidade e sim uma processo de perseguição da Câmara.
Tive 51,47 % dos votos nas eleições. Foram 5.514 votos. Agora vou entrar na guerra judicial, mas totalmente seguro porque eles cometeram muitas irregularidades e nulidades processuais.


Agora vou recorrer na Justiça e logo retornarei e alguns vereadores sofrerão as consequências dessa perseguição política infundada. Fui eleito o prefeito mais eficiente de Goiás entre 246 e entre os 7 mais transparentes! O honesto sofre na política, mas estou preparado. Nunca tive nada fácil na vida e esse será apenas mais um desafio.
Geralmente as pessoas só agradecem a Deus pelas coisas boas e eu aprendi a agradecer pelas coisas ruins também, porque são elas que me fortalecem como ser humano e me mostram a realidade da vida, e com certeza sairei fortalecido”.


As denúncias


O vereador Mário César (Cezinha), com quem a reportagem conversou, comentou sobre as denúncias apresentas. Ele foi um dos dois que ficou do lado do prefeito. Ele faz as seguintes afirmações:


- Uma denúncia é de omitir informações e de dificultar, não entregando cópia de informações. E isso a Prefeitura faz. A lei não fala que a Prefeitura tem que emitir cópias. A lei fala que a Prefeitura tem que disponibilizar informações e isso a Prefeitura faz, até com elogios. Isso será derrubado na esfera da Justiça.


- Outra denúncia é de que no mesmo período um funcionário comissionado da Prefeitura era dono de uma empresa que prestava serviço para a Prefeitura. Isto foi provado que não era assim. Quando ele fechou contrato com a Prefeitura não era mais funcionário da administração. Há um mês atrás ele tinha vendido a sua parte na empresa. Isso foi provado nos autos.


- Mas o que prevaleceu foi o ódio, uma cassação tipicamente política.

O que achou dessa Notícia?
36 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

1 comentário

  • Adalto Gomes 07/03/2020

    Parabéns povo de Caiapônia!!! Vocês tem o vereador que merece. Vote nele novamente. Ainda bem que moro bem distante dai. Esse modelo de parlamentar deve deixar de existir na política pública. Pensamentos e atitudes deste vereador merecem ações mais enérgicas dos demais vereadores. Acho que cabe uma reunião do conselho de ética da câmara. Isso não pode ficar em vão.

Comente

Faça seu Login

Use sua conta do Oeste Goiano.