Relíquia do catolicismo percorreu cidades desta região

18/11/2018
reliquia-de-frederico-ozanan18112018.jpg

Vicentinos com a relíquia de Frederico Ozanan

Um pedaço de linho na cor creme que Frederico Ozanan usava quando foi sepultado foi relíquia que percorreu cidades desta região de Goiás. Esta, que foi chamada de "Peregrinação da Relíquia de Antônio Frederico Ozanan", esteve nas cidades deCaiapônia, Montes Claros, São Luis de Montes Belos e Iporá, por onde passou no feriado de 15 de novembro, com celebração que aconteceu na igreja Matriz Nossa Senhora Auxiliadora, a partir das três horas da tarde.


O tecido era um manto colocado para envolver o corpo, seguindo um ritual próprio dos franciscanos, Frederico Ozanan participava da ordem terceira franciscana. Em 1929, quando houve a exumação, a família do principal fundador da Sociedade São Vicente de Paula autorizou o Conselho Internacional a fazer a retirada de parte do manto para transformá-lo em pequenas relíquias. Essa relíquia vem envolta a uma estatueta, uma imagem de cerâmica que retrata a figura de Ozanan.


Segundo os vicentinos, essa relíquia é conservada para preservar a memória do seu fundador e também para propiciar momentos de veneração a quem tão bem fez a humanidade. João Bueno de Morais, João do Pote, da coordenação do Lar São Vicente de Paulo, uma das obras vicentinas explica que essa imagem vem de Roma para onde retorna após a peregrinação por aqui.


A motivação


Viver de modo atualizado as virtudes missionárias vicentinas, para bem servir a Cristo evangelizador dos pobres: a autenticidade no ser e agir, buscando a verdade(simplicidade); a abertura de coração a Deus, reconhecendo nele o Senhor de nossa vida, sem autossuficiência e prepotência(humildade); a capacidade de manter a ternura e a bondade na luta (mansidão); a capacidade de concentrar-se para optar em radicalidade por Cristo e seu Reino (mortificação); e a dedicação generosa, atuante, criativa e responsável para evangelizar e servir os pobres (zelo)!


VIDA DE FREDERICO


Ozanam matriculou-se na escola dos pobres, aí encontrou Jesus e desenvolveu uma atitude compassiva e misericordiosa, que orientou sua fé, sua vida e seu trabalho: “Os pobres, nós os enxergamos com os olhos da carne. Eles estão aí! Podemos tocar com o dedo suas chagas: aqui a incredulidade não é mais possível – É preciso cair de joelhos aos seus pés e gritar: MEU SENHOR E MEU DEUS! Vocês são nossos mestres e seremos seus servos. Vocês são para nós imagens sagradas do Deus que não enxergamos. Não podendo amá-lo de outro jeito, nós O amaremos em vocês”. Nas pegadas de São Vicente, Ozanam fez a experiência de encontro com Cristo presente nos pobres, neles encontrou o Verbo Encarnado, fez uma corajosa e fecunda opção pelos pobres: “Tomemos partido dos pobres, miseráveis da classe operária...”


Antônio Frederico Ozanam ensina um amplo e rico horizonte espiritual para avida de fé e trabalho vicentino. É um fantástico programa de vida cristã, a que o vicentino é chamado a viver e a transmitir aos outros. Em vista de sua santificação pessoal e da santificação dos outros, não podemos perder de vista as ricas pistas espirituais vicentinas que Ozanam nos deixou para que a SSVP continue sempre viva em missão e buscando sempre a mudança para transformação da realidade dos mais pobres.

O que achou dessa Notícia?
8 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.