Cidades da região vão passar por pesquisa do IBGE para avaliar saúde do povo

13/08/2013
elisbete.jpg

Informa Elisbete Menezes de Lemos, Chefe da Agência do IBGE na região de Iporá que há previsão para os pesquisadores do IBGE começarem nesta segunda-feira (19) a visitar casas em cidades da região oeste de Goiàs para reunir informações de um estudo inédito. Será o retrato mais completo da saúde da população.


A reportagem do Oeste Goiano procurou, nesta manhã de terça – feira, 13, a chefe do IBGE, para saber mais informações, especialmente sobre quais serão as cidades da região oeste de Goiás que passarão a receber visitas dos entrevistadores do IBGE, em busca de saber como anda a saúde dos brasileiros. Esses dados serão repassados ao governo federal para diagnósticos futuros.


Segundo Elisbete Menezes de Lemos, foram convocadas duas mulheres do recente concurso de 2011 para estar atuando como entrevistadoras nas seguintes cidades; Aragarças, Firminópolis, Israelândia, Piranhas, São Luis de Montes Belos e Turvânia, em busca dessas respostas. Fabrina Messias de Oliveira e Letícia Batista Alves, ambas biólogas, estão passando por um treinamento em Goiânia para dar inicio suas atividades na cidade de Piranhas. Nos municípios de Israelândia e Firminópolis serão entrevistados habitantes da zona rural. A pesquisa a ser realizada nestas cidades da região oestina serão feitas por setor, sendo que, somente a cidade de São Luis de Montes Belos terá quatro setores, num total de 42 entrevistados.


O tempo de preenchimento do questionário é um pouco extenso, mas é preciso que seja realmente detalhado. Inclui perguntas sobre o estilo de vida, a presença de doenças crônicas e até sobre a qualidade do atendimento médico. Durante três meses, cento e dez domicílios vão ser visitados em sete municípios de toda região.


Para traçar o mais completo retrato da saúde dos brasileiros, ao bater na porta das casas, os entrevistadores não vão apenas fazer perguntas. O IBGE também vai medir altura, peso e verificar a pressão de um morador de cada residência. Nas áreas visitadas, pela primeira vez, vão ser feitos exames de sangue e urina para análise em laboratório. As amostras vão ser coletadas em casa e o morador o vai receber o resultado de graça.


O IBGE terá a possibilidade de identificar doenças silenciosas, como o diabetes, e sobre insuficiência renal e hipertensão arterial que o paciente ainda não tenha tido a oportunidade do diagnóstico, As entrevistadoras estão sendo treinado para tirar medidas precisas, inclusive da circunferência abdominal, um indicador de risco para doenças cardíacas. A população vai ter um diagnóstico que nunca foi feito antes.

O que achou dessa Notícia?
6 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente