Tempo de calor propicia proliferação de moscas em Iporá, diz biólogo

02/10/2013
Douglas-Henrique-Bottura-Maccagnan.jpg

Douglas: Biólogo em atividade para explicar fenômeno das moscas

Há a reclamação geral sobre o grande número de moscas que se verifica na cidade de Iporá. Em casas de carne, a presença de moscas sobre o produto chegou a ser objeto de bronca de consumidora que usou do site mostrar sua indignação. Para aprofundar nesse assunto, o OG procurou biólogos da Unidade de Iporá da Universidade Estadual de Goiás. Eles são Douglas Henrique Bottura Maccagnan, Bacharel em Ciências Biológicas e Doutor em Entomologia (estudo de insetos) e Lucas Henrique Sampaio, Bacharel em Biomedicina e Doutor em Medicina Tropical (Infectologia). A afirmação dos entendidos no assunto é de que a intensa proliferação de moscas não ocorre só em Iporá. Está sendo generalizada na região e tem a ver com o forte calor que facilita a procriação da espécie.


Sobre a infestação de moscas no município de Iporá e os perigos que elas podem trazer à nossa saúde


Texto dos biólogos


As moscas são insetos que se desenvolvem por meio da chamada metamorfose completa, onde o indivíduo passa pelas fases de ovo, larva, pupa e só então surge o adulto que possui asas. Existem dezenas de espécies diferentes de moscas associadas ao ambiente urbano, sendo que sua identificação é possível apenas por um especialista nesse grupo de insetos.


De maneira geral, após ser fecundada a fêmea procura um local para depositar seus ovos, sendo este geralmente matéria orgânica em decomposição, como por exemplo, lixo doméstico ou industrial, carniça e carcaças de animais descartados em locais impróprios, ração animal, fezes de animais (cachorros, bovinos, aves...), fezes humanas, entre outros. É nessa matéria orgânica que as larvas, que é um tipo de coró, irão se desenvolver e também se alimentar. A fase larval pode demorar de cerca de uma semana até um mês, isso dependendo principalmente da temperatura e da umidade. Quanto maior a temperatura, mais rápido a larva se torna adulta. Depois de adulta, uma única fêmea pode depositar mais de 400 ovos durante seu período de vida, que é de cerca de 30 dias.


Após completar a fase larval surge o adulto, que é a mosca que conhecemos. O adulto é capaz de comer, além do alimento descrito para a larva (fezes, carniças, lixo orgânico...), tudo que tiver açúcares ou aminoácidos, como por exemplos resíduos orgânicos sobre uma pia da cozinha que não foi bem lavada.


Em tempo de calor proliferação aumenta


O fato de agora haver grande infestação de moscas não ocorre apenas no município de Iporá, pois isso se dá de forma generalizada atingindo também outras regiões. O principal motivo de haver muitas moscas nessa época do ano se deve principalmente ao aumento do calor, fazendo com que elas se tornem adultas mais rápido que nos períodos mais frios do ano. Na temperatura que temos na primavera/verão o desenvolvimento de ovo a adulto é de cerca de 07 dias, enquanto que no inverno o desenvolvimento demoraria cerca de 30 dias . Os ovos depositados por esses adultos também irão se desenvolver mais rápido, propiciando dessa forma a explosão populacional de moscas que estamos vivendo e que, muito provavelmente, viveremos nos próximos anos durante essas estações do ano.



Moscas trazem doenças


Por estar sempre em contato com fezes, esgotos, fossas, produto animal e vegetal em decomposição, as moscas têm grande importância em saúde pública como vetores mecânicos de doença. Ou seja, as moscas podem contaminar suas patas com microrganismos causadores de doenças ao pousarem em superfícies contaminadas e, posteriormente, pousarem nos alimentos, disseminando muitas doenças.


Várias doenças podem ser transmitidas por moscas. Centenas de diferentes patógenos como bactérias, fungos, vírus, protozoários e vermes podem ser transmitidos pelas moscas. São exemplos de doenças transmitidas por moscas algumas infecções alimentares graves com distúrbios gastrointestinais e verminoses, como o Ascaris lumbricóides, também chamada de lombriga. Sendo assim, é importante evitar consumir alimento que tenham tido contato com moscas.


Algumas espécies são mais danosas


Além disso, deve-se ter um cuidado especial com as chamadas varejeiras, que são moscas de grande tamanho e coloração verde azulada. As varejeiras podem depositar seus ovos na pele humana causando uma doença chamada miíase. Na míiase os ovos geram larvas esbranquiçadas conhecidas por berne ou bicheira. Também é muito comum que a miíase ocorra em bovinos e cães. As lesões por miíase são extremamente doloridas e podem ocasionar outras graves infecções secundárias. Além disso, podem causar muitos prejuízos econômicos quando acometem o gado.


Como agir


A melhor forma de reduzir a presença de moscas em nossas casas é evitar seus locais de criação e alimentação. Para evitar sua criação é importante descartar de forma correta o lixo doméstico. Feche muito bem o saco de lixo, pois em qualquer buraco que haja, mesmo que muito pequeno, a mosca poderá entrar para depositar seus ovos. Evite expor os sacos de lixo a locais em que animais possam rasgar. Colocar o lixo para fora de casa no horário próximo ao da coleta e mantê-lo em uma lixeira suspensa é uma boa dica. Outra dica é antes de jogar no lixo sacos plásticos ou outros recipientes com resíduos de carne ou sangue é importante lavá-los, pois esses resíduos servem de alimento e atraem muitas moscas.


Várias ações podem ser realizadas para evitar moscas em nossa residência. Por exemplo, colocar telas nas janelas e portas ou ainda usar velas, em especiais aquelas que tem citronela em sua composição que são eficientes para repelir esses insetos. Porém, boa parte da redução de moscas deve-se aos nossos hábitos e aos de nossos vizinhos de bairro, pois, como podem voar, as moscas se espalham por distância considerável a partir de seu criatório.


Ao poder público do município cabe a coleta e depósito do lixo em aterros sanitários apropriados e em conformidade com a legislação cabível, bem como a limpeza e fiscalização para evitar e punir a população que faz descarte de seu lixo, bem como carcaças de animais, em locais impróprios. É também de responsabilidade do poder público a fiscalização dos pontos de comércio e produção de alimentos para que seja cumprida a legislação sanitária, inclusive no que diz respeito ao controle de pragas e vetores nesses locais.

Lucas: biólogo



Douglas: Biólogo

O que achou dessa Notícia?
10 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

5 comentários

  • Angelus Reis 03/10/2013

    E aí Jaaaaaaaana! Parabéns pelo o seu marido...
  • Gerente DE Endemias Palestina 03/10/2013

    É REALMENTE INCRÍVEL A BIOLOGIA DOS INSETOS ... E QUÃO IMPORTANTE É O CONHECIMENTO DESA ÁREA CIENTIFICA PODENDO ASSIM EVITAR A TRANSMISSÃO DE DOENÇAS AOS HUMANOS !!!
  • Gerente DE Endemias Palestina 03/10/2013

    É REALMENTE INCRÍVEL A BIOLOGIA DOS INSETOS ... E QUÃO IMPORTANTE É O CONHECIMENTO DESA ÁREA CIENTIFICA PODENDO ASSIM EVITAR A TRANSMISSÃO DE DOENÇAS AOS HUMANOS !!!
  • Gerente DE Endemias Palestina 03/10/2013

    É REALMENTE INCRÍVEL A BIOLOGIA DOS INSETOS ... E QUÃO IMPORTANTE É O CONHECIMENTO DESA ÁREA CIENTIFICA PODENDO ASSIM EVITAR A TRANSMISSÃO DE DOENÇAS AOS HUMANOS !!!
  • Gerente DE Endemias Palestina 03/10/2013

    É REALMENTE INCRÍVEL A BIOLOGIA DOS INSETOS ... E QUÃO IMPORTANTE É O CONHECIMENTO DESA ÁREA CIENTIFICA PODENDO ASSIM EVITAR A TRANSMISSÃO DE DOENÇAS AOS HUMANOS !!!

Comente