A dor de perder entes queridos...

18/06/2021

Mais de 100!
Não são poucos. 
Pelos números da Secretaria Estadual de Saúde (SES-GO), são 104 iporaenses que já perderam suas vidas durante a pandemia.


Em primeiro de maio do ano passado, Otávio Martins de Brito, de 77 anos, morreu por Covid-19, Era o primeiro iporaense como vítima. Portanto, há 13 meses e meio atrás. 


Desde então, são 104 vidas perdidas em razão do terrível vírus que veio da Ásia e se espalhou por todos os recantos da Terra. 


Em Iporá não tem quem pelo menos não conheça alguém que partiu em razão da doença trazida pelo vírus. Muitos iporaenses perderam amigos. Dezenas perderam parentes!


Se a vida é o que temos de mais importante, então a morte é a maior perda. A pandemia tirou do cenário iporaense pessoas muito conhecidas, ilustres iporaenses, entes queridos em meio a nossa sociedade. E todos, enfim, são importantes e que, se não fosse a pandemia, ainda estariam em meio a nós.


O Oeste Goiano quis prestar uma homenagem a cada um que partiu, citando cada vida perdida. Enviamos ofício a Secretaria Municipal de Saúde solicitando essa relação. O órgão não nos enviou, alegando que há impedimento legal para isso. Anexou na correspondência de resposta um parecer jurídico nesse sentido.


Sem a lista oficial dos que se foram, resta a memória a trazer de volta os iporaenses queridos que partiram, ceifados pela pandemia. Mais de 100! Saudades dos amigos: Geraldo do Cartório, Celismar Domingues, Ananias Rocha, Luiz Carlos Macedo (Luiz da Orquídeias) e, poucos dias depois, sua irmã, Luzeni.


Quem mais? São muitos: o casal Eurides (Oridão) e a esposa Avelina. Outro casal que perdemos foi o pastor José de Paula e a missionária Tânia. Perdemos a Valduce Coutinho, o Manoel Rodrigues da Silva (Manoel Matrinchã), o folião Simeão Marques de Araújo e até dois médicos: Saulo de Tarso Menezes e Dinazir Dias Padilha. 


Quem mais? Nos ajude a lembrar citando nomes em comentários no rodapé desta reportagem. Perdemos o Divino Vilela e os irmãos Adair e Gervaci Pires. Perdemos as senhoras Maria Helena Carneiro e Irani Rosa Dias. Perdemos o José Inácio da Silva (Zé Pelado) e o Gabriel Coelho Magalhães (Saneago).


Perdemos o Albertino Ferreira (Tininho). Nos deixaram o Custódio Garcia (da loja Garbo) e Israel Queiroz (liderança religiosa na Igreja Assembleia de Deus). Perdemos o Vilmar Batista (violeiro). Perdemos o advogado Sílvio Bezerra, que não estava mais residindo em Iporá, mas é filho desta terra. 


Perdemos o Wisley José de Menezes. Mais recentemente, perdemos a Marília da Floricultura, o Pedro Eliesio (Pedrinho), o soldado João Batista Lopes e o empresário Kleiton Pereira da Centaurus. Quem mais? São muitos. São 104.


Cada iporaense está enlutado pela perda de alguém com quem se relacionou. Nossa homenagem às vitimas e familiares. Todos, citados ou não, eram importantes para a sociedade iporaense!


O que achou dessa Notícia?
18 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente