Campanha troca lacres por cadeira de rodas

11/07/2019
whatsapp-image-2019-06-25-at-23151411072019.jpeg

Matéria publicada na Revista Impacto Contando Histórias mostra o projeto do Colégio Exato com participação dos alunos e comunidade escolar.


Lacre amigo


Os mais de 500 alunos do Colégio Exato e da Escola Exatinho e toda comunidade escolar participaram do projeto Lacre Amigo. Pioneiro em Goiás na iniciativa, o projeto consiste em juntar lacres de latinhas de alumínio e trocar por uma cadeira de rodas a ser doada para quem precisa.


Durante um ano, os alunos e familiares se esforçaram para juntar o maior número envolvendo toda a região, desde o comércio passando pelos catadores de material reciclável e o apoio dos grandes eventos como Exposição Agropecuária e Encontro Nacional dos Muladeiros.


Foram 90kg arrecadados, o que equivale a 140 garrafas de 2 litros. O material foi enviado para São Paulo, onde a empresa Arteris, uma das maiores companhias do setor de concessões de rodovias do Brasil, trocou pela cadeira de rodas. O Colégio Exato foi a primeira escola de Goiás a participar da campanha.


Em Iporá, a cadeira foi doada para Gleice Cardoso, 23 anos. Diabética desde a infância, Gleice está perdendo a visão e um ferimento no pé, de difícil cicatrização, a tem impedido de andar. A família já desejava adquirir, mas, as condições não permitiam. Uma cadeira de rodas pode custar até R$ 3.500,00.


A campanha Lacre Amigo continua. Você pode juntar os lacres na sua casa ou comércio e depois entregar no Colégio Exato. A meta para este ano é juntar o suficiente para trocar por duas cadeiras.


Por que somente os lacres são utilizados e não as latinhas de alumínio inteiras?


Primeiro, o manuseio do lacre é mais simples e ocupa bem menos espaço para armazenar do que latinhas. Para ter uma ideia, 30.000 lacres de alumínio cabem em 10 garrafas pets de 2 litros e equivalem a quase 1.000 latinhas de alumínio. Já imaginou armazenar 1.000 latinhas de alumínio em casa?


Em segundo lugar, a liga de alumínio do lacre tem teor de magnésio maior que o da latinha. Dessa forma, separando o lacre evita-se que a mistura dos dois tipos de alumínio contaminem o alumínio reciclado.

O que achou dessa Notícia?
5 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.