Ipasgo libera consultas eletivas com regras de segurança

23/04/2020

O Instituto de Assistência dos Servidores do Estado de Goiás (Ipasgo) informa que as consultas eletivas voltam a ser autorizadas, seguindo as regras do Decreto 9.653, do Governo de Goiás, de 20 de abril, que liberou o funcionamento de novas atividades durante o período de controle ao avanço do novo coronavírus. Na rede Ipasgo, a realização de exames laboratoriais e de diagnóstico continua normalmente, conforme informado na semana passada.


A liberação das consultas eletivas vale para toda a rede credenciada ao plano de assistência. Na unidade de Atendimento Médico Ambulatorial do Ipasgo, situada no setor Leste Universitário, as consultas eletivas serão realizadas de forma gradual, sendo que, neste momento, estão liberados agendamentos nas áreas de obstetrícia, neurologia (prescrição de receituário médico) e pneumologia.


Seguindo as determinações do decreto estadual, as unidades de saúde, exceto as de cunho exclusivamente estético, e os consultórios odontológicos podem reabrir desde que apliquem as regras de segurança. Passados 30 dias do início da quarentena em Goiás, a curva de crescimento da Covid-19 encontra-se em patamares menores do que o projetado inicialmente como o ideal, com base no que ocorreu em outros países.


De acordo com o governador Ronaldo Caiado, o isolamento social continua e o Estado terá protocolos rígidos para a retomada, responsável e aos poucos, das atividades econômicas. “Se hoje temos os melhores índices do País é porque fomos o primeiro Estado a decretar a quarentena. O achatamento da curva nos permitiu, agora, abrir, de maneira gradual, parte do comércio e da indústria, e também estruturar melhor nossa rede para atendimento aos pacientes”, disse.


O decreto do Governo de Goiás, que ampliou por 150 dias o prazo de Emergência em Saúde Pública, foi elaborado levando-se em consideração o Regimento Sanitário Internacional, o Plano Estratégico para Política de Enfrentamento aos Efeitos da Pandemia da Covid-19, apresentado pela Universidade Federal de Goiás (UFG), Instituto Mauro Borges (IMB) e pelas secretarias estaduais da Saúde, Economia e de Desenvolvimento e Inovação; a nota técnica 7/2020 emitida pela Secretaria Estadual de Saúde; e a recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que assegurou aos governos municipais, distrital e estaduais competência para adoção ou manutenção de medidas restritivas durante a pandemia.


Regras para unidades de saúde
O decreto estadual prevê regras para o funcionamento das unidades de saúde (medicina, odontologia e outras especialidades) no território goiano. Nestes locais, as consultas só devem ser realizadas mediante agendamento por horário e a aglomerações precisam ser evitadas, como medida de contenção da disseminação do vírus. O uso de máscaras passou a ser obrigatório para a circulação nas vias públicas, sendo assim os prestadores de serviço cadastrados ao Ipasgo deverão disponibilizar o item para pacientes e funcionários.


Também é necessário oferecer álcool para higienização das mãos, garantir a distância mínima de dois metros entre as pessoas; utilizar equipamentos de proteção individual (EPI), proibir o acesso de pessoas sem máscaras e intensificar a limpeza do ambiente de trabalho, desinfectando várias vezes ao dia com álcool locais como computadores, telefones, maçanetas e interruptores.


O documento também determina a disponibilização de locais para a lavagem adequada das mãos e medição de temperatura das pessoas que frequentarem as unidades. Reuniões presenciais devem ser evitadas e há recomendações de isolamento domiciliar para profissionais idosos.


O Ipasgo informa aos usuários do plano de assistência que o não cumprimento das medidas de segurança contra o avanço da pandemia pode ser informado pelo 0800 62 1919. Caso as denúncias sejam comprovadas, os prestadores de serviço podem responder a processo administrativo junto ao plano de assistência, bem como as previsões de punição previstas no decreto estadual.


Cirurgias e procedimentos eletivos
O Instituto de Assistência dos Servidores do Estado de Goiás (Ipasgo) informa que as regras para a liberação de cirurgias e procedimentos eletivos serão discutidas com as entidades representativas dos profissionais de saúde. O objetivo é garantir critérios de segurança para os prestadores de serviço e pacientes, além de estabelecer medidas para evitar a lotação de leitos durante o período de controle ao avanço da pandemia do novo coronavírus.


As medidas, que vão seguir as determinações do decreto 9.653, do Governo de Goiás, de 20 de abril, abrangem procedimentos médicos e odontológicos e terapias (fisioterapia e fonoaudiologia). As propostas serão encaminhadas aos conselhos e sindicatos de classes para apreciação e complementação.


As regras vão permitir o retorno gradual destes serviços de modo que não haja superlotação na rede de saúde credenciada. Os protocolos também visam reduzir os riscos de contaminação pela Covid-19 para os profissionais e pacientes.


Para a liberação destes procedimentos pelo plano de assistência, será necessário a inclusão de termo de consentimento informado assinado pelo profissional de saúde e outro assinado pelo paciente. Os documentos passam ser obrigatórios para a análise dos pedidos no sistema Ipasgo. As demais regras serão divulgadas após a chancela dos conselhos e sindicatos de classes profissionais de saúde.


Comunicação Ipasgo

O que achou dessa Notícia?
1 voto
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.