Reduzida pena de motorista da empresa Maia que causou acidente e mortes

13/07/2013

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), por unanimidade de votos, modificou a pena que condenou motorista da empresa Expresso Maia. A detenção de quatro anos em regime inicialmente aberto foi substituída por duas restritivas de direito, ou seja, prestação de serviço à comunidade e prestação pecuniária.


De acordo com o relator, Fábio Cristóvão de Campos Faria (foto), juiz substituto em 2º grau, a sentença fixou, também, com extremo rigor, a suspensão da habilitação do motorista. Tal pena foi novamente fixada, desta vez para dois anos, ou seja, metade da pena aplicada.


José Eugênio Venâncio Soares dirigia um ônibus a serviço da empresa Expresso Maia, no trajeto de São Luis de Montes Belos até o município de Barra do Garças, em Mato Grosso. Enquanto trafegava pela rodovia Go - 060, sentido Israelândia - Iporá, por conta de uma distração provocada pela sonolência, atravessou a faixa e passou para a contramão. Ele apenas acionou o freio após colidir com a mureta de proteção da via e contra galhos de uma vegetação, localizada às margens do local.


Na tentativa de retornar para a pista, realizou uma manobra de forma abrupta, o que o levou a perder o controle do veículo. O ônibus trafegou pelo acostamento da via e iniciou uma descida por um aterro, momento no qual ultrapassou uma cerca de arame liso, chocou com arbustos, tombou e arrastou sua lateral sobre o solo. Só conseguiu parar após 42 metros.


O acidente causou a morte de Dimarcy Honorato da Silva e Maria das Graças, além de ferir gravemente Jurandir Leão Leite e fraturas leves em mais cinco pessoas. (do site do Tribunal de Justiça  - Texto: Lorraine Vilela - estagiária do Centro de Comunicação Social do TJGO)

O que achou dessa Notícia?
1 voto
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.