São Luís de Montes Belos discute implantação do AME

03/06/2013

Descentralizar os serviços especializados de saúde facilitando o acesso à assistência médica ao paciente que mora no interior. Essa é a proposta da Secretaria da Saúde (SES-GO) ao implantar os Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs). Para discutir a implantação do AME em São Luís de Montes Belos, o secretário da Saúde, Antônio Faleiros, estará na cidade nesta terça feira, dia 4, a partir das 9 horas, no Salão da Maçonaria, na Rua Rio Claro, nº 1.763, onde se reunirá com prefeitos e secretários municipais de Saúde.


Durante a reunião, que se estende até o fim da tarde, eles vão conhecer a proposta de criação do Ambulatório Médico de Especialidades (AME) e dos Consórcios Intermunicipais de Saúde. A unidade de São Luis de Montes Belos poderá atender, com serviços de saúde, uma população estimada em mais de 100 mil pessoas residentes nos 13 municípios que agregam a Regional de Saúde Oeste 2. A expectativa é que as 17 regionais de Saúde de Goiás sejam visitadas para apresentação do projeto.


É comum o paciente se deslocar até a capital em busca de assistência médica, enfrentando longas distâncias. Dados da Secretaria da Saúde revelam que 41% dos pacientes atendidos atualmente em Goiânia são do interior. Com os AMEs eles poderão ser assistidos de forma humanizada em um centro mais próximo de seus domicílios. A SES pretende implantar 21 AMEs, contemplando todas as regiões do Estado.


Atendimento humanizado
Os Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs) foram criados em São Paulo, em 2007, com a proposta de oferecer serviços profissionais especializados de forma humanizada. São centros de diagnóstico e orientação terapêutica que reúnem em um mesmo prédio várias especialidades médicas, para atendimento aos pacientes encaminhados pela rede básica de saúde. O projeto prevê a realização de consultas e exames, ampliando a oferta de serviços ambulatoriais e facilitando o atendimento à população na cidade e região onde for implantado.


O Estado de Goiás construirá os AMEs, ao custo estimado de R$ 15 milhões cada unidade, fará a compra dos equipamentos para realização de exames mais complexos e também vai preparar os procedimentos de licitação. Toda assistência será regulada em consonância entre municípios e Estado. Cada município, escolhido com base em critérios técnicos, precisa entregar em tempo hábil a doação do terreno para concretizar a parceria.

O que achou dessa Notícia?
1 voto
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.