Opinião

A dificuldade de ser vereador quando não se pode criticar

Marinho da Mata
05/03/2018

Foi uma satisfação ter contado com a confiança do povo de Iporá e ter sido eleito vereador para a legislatura 2017/2020. Mas estou tendo uma decepção. Preciso dizer isso ao povo de minha cidade e de modo especial aos que votaram em mim, confiando essa tarefa.

 

Fui eleito pela oposição e por ser assim, é claro que minha tarefa é de fiscalizar. E mesmo que eu não fosse da oposição, mesmo que eu fosse do lado do prefeito, o meu dever é de fiscalizar, de denunciar, de apreciar as matérias legislativas e de votá-las, aprovando ou não e de apresentar projetos e requerimentos.


Temos preparo para fazer tudo isso e tudo isso tem sido feito por nós, mas a barreira em Iporá é quando se faz críticas ao poder público. Não aceitam. Os que estão no poder não querem ser criticados. Tenho sofrido com isso. E tenho visto colegas meus, da oposição, também sofrendo da mesma forma. Não se pode criticar. É preciso ficar com a boca fechada.

 

Vivi fatos sobre isso que não quero aqui relatar de público. Mas digo que dói a repressão, a mordaça, a perseguição. Ora, o vereador é livre para dizer o que quiser. Temos até imunidade parlamentar, exatamente para facilitar o nosso trabalho. Vereador é fiscal do povo, tem o direito de adentrar nos espaços públicos, ver o que está certo e o que está errado e, no caso do que está errado, denunciar. Somos fiscais do povo, pagos para isso.

 

Mas em Iporá o momento é delicado. Existe uma arrogância de governantes que não podem sofrer críticas. Ora, quem não erra? Será que essa gestão municipal vive só de acertos? Claro que não. E se denunciamos, se vamos à imprensa, é para que seja corrigido o que está errado. Queremos dizer aos que governam que estamos a apenas pouco mais de um ano de mandato, ainda é tempo de corrigir erros, reconsiderar comportamentos e, com isso, passar a aceitar críticas, até porque nossa crítica é construtiva, é de quem torce para que tudo dê certo.

 

Teríamos o maior prazer em aplaudir os acertos. Quero acreditar que tudo isso vai mudar, que vão passar a entender o trabalho do fiscal do povo, daquele que é abordado pela comunidade. Somos cobrados pelo povo e para a gestão temos que levar essas cobranças. Que passem a ser tolerantes. Quero ter esperança de que para os três anos que ainda restam desse mandato, os governantes do município vão aprender a conviver em respeito e harmonia com o contrário, o que está do outro lado.

Marinho da Mata

Marinho da Mata é vereador em Iporá pelo Democratas

Mais Opiniões
O que achou desse Artigo?
35 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

1 comentário

  • ARNON GERALDO FERREIRA 08/03/2018

    Boa noite ao nobre vereador, como iporaense e vivendo em Goiânia a mais de 27 anos, mas apaixonado por Iporá, que deixar aqui uma sugestão, a melhor forma de criticar é trabalhar sem se importar com quem faz ou está fazendo, o Dom maior é o de servir e deixa que o povo julgue, quem está certo ou quase certo. A proposito a critica foi criada por quem não tem conteúdo a apresentar. Um abraço e tudo que é para o bem de Iporá, tem o meu apoio.

Comente

Faça seu Login

Use sua conta do Oeste Goiano.

Faça seu Login

Use sua conta do Oeste Goiano ou Facebook para comentar.

Botão do Facebook
Faça aqui o seu cadastro!