Opinião

Mais história - Quantos e quais eram os que habitavam o comércio velho

Renã Dhieiby Nascimento
11/10/2021

Ao nos propor a estudar, analisar e historiografar sobre a história de Iporá/GO, somo compulsoriamente levados à olharmos para o antigo Distrito do Rio Claro, território este administrativamente ligado à então Capital de Goyaz no século XIX e início do século XX.


Iporá é o único município diretamente originado do antigo Distrito do Rio Claro; porém, na ânsia de se fazer “patrimônios históricos-culturais”, alguns autores estão incorrendo no erro de criarem estórias e não HISTÓRIA. Ao buscarmos em fontes primárias da história, o historiador bem sabe que, toda fonte precisa ser analisada, criticada, interpretada e discutida academicamente, aí sim a tomamos como baliza, ou a rejeitamos dentro de nossas correntes de pensamento.


Como núcleo populacional dotado de território delimitado, paróquia eclesiástica e órgãos públicos administrativos, o Distrito do Rio Claro foi criado em 05 de julho de 1833, juntamente com a elevação de sua ermida para a categoria de Paróquia de Nossa Senhora do Rosário de Rio Claro.


Com o advento da promulgação da chamada Lei de Terras, em 1850, que determinava o Registro Paroquial de Terras “devolutas”, esta legislação incentivava através de isenção de impostos por um período de 10 anos para aqueles que adquirissem terras para utilização de atividades agropastoris; ocorrem-se então ondas migratórias para o território goiano, advindas principalmente das províncias de São Paulo e de Minas Gerais.


Panorama Populacional do Distrito do Rio Claro no final do Século XIX


A região pretendida pelas ondas populacionais migratórias são o sul, sudoeste e oeste goiano. Os Registros Paroquiais totalizaram somente entre os anos de 1857 e 1859, um total de 59 propriedades rurais levadas ao Registro da Paróquia de Nª Sª do Rosário de Rio Claro.


Na década de 1870, um ato governamental do Império do Brazil iria nos dar relevantes subsídios e contribuições para o desvendar da historiografia regional de Iporá para o século XIX. Através da Lei nº. 1.829, de 29 de Setembro de 1870, foi ordenado o 1º Censo da população do Império brasileiro. A Comissão Censitária do Districto do Rio Claro levantou os seguintes dados:


À estes dados estatísticos somam-se as informações de que entre a população do Distrito existiam 9 moradores estrangeiros; e também a informação de que existiam 170 residências no Distrito de Rio Claro, sendo 164 habitadas e 6 desabitadas. Todos os 98 escravizados existentes e matriculados no Distrito, eram afrodescendentes nascidos no Brasil. O censo apontou ainda o quantitativo da "população considerada em relação aos defeitos physicos": 02 "Cégos", 08 "aleijados", 01 "alienado"; totalizando 11 moradores com necessidades especiais, e o fato curioso de todos serem do sexo masculino.


São com base nestes dados que o governo organizaria o Alistamento para o Exército na Comarca da Capital de Goyaz, relacionando cidadãos do sexo masculino no Distrito de Rio Claro. Dentre os nomes aparecem vários ancestrais de proeminentes e conhecidas famílias do Oeste Goiano, tais como: Joaquim Fernandes da Rocha, Silvério Machado Valadão, Epiphanio de Freitas Silveira, Jacinto Machado Valadão, Francisco de Paula Netto, Afonso Geraldo Diamantino, Manoel de Moraes Bueno, José Rafael de Alencastro, Ignácio de Paula Rocha, Izidoro de Paula, Manoel Fernandes Pereira, Zacarias Alves Pereira de Rezende, João Porfíro de Souza, José Porfiro de Souza, Manoel Porfiro de Souza, Targino Dias Ferreira, entre outros.

A população do Distrito de Rio Claro foi contabilizada no recenseamento de 1890 em 1.124 habitantes, porém neste recenseamento não se contabilizou as crianças, somente a população adulta e economicamente ativa. Já no recenseamento de 1920, a população do Distrito de Rio Claro foi de 897 pessoas adultas; essa cifra se citada apenas no contexto estatístico, colabora para a já ultrapassada falácia teoria da decadência que em textos anteriores já tratamos do assunto. Porém, como esmeros historiadores comprometidos com a análise crítica e contextual dos dados, devemos perceber que em 1902 ocorre a criação dos Distritos de Cachoeira e do Registro do Araguaia, e o território de tais Distritos foram desmembrados do Distrito de Rio Claro.


Se somarmos a população do Distrito de Rio Claro em 1920 (897 pessoas), com as populações dos recém criados Distritos de Registro do Araguaia (941 pessoas) e Cachoeira (1.131 pessoas), temos a cifra de 2.969 pessoas moradoras em territórios do antigo Distrito de Rio Claro, que agora (1920) estavam divididas administrativamente em 3 distintos Distritos da então capital de Goiás.

Renã Dhieiby Nascimento

Renã Dhieiby Nascimento é historiador. Formou-se pela UEG/UnU-Iporá, em 2007. Em seguida,  Mestrado (2013) e Doutorado (2016) pelo SETEB (Mossoró/RN). O jovem estudioso da história desta terra nasceu em 13 de janeiro de 1986 na cidade de Iporá/GO. Filho caçula de José Mauro do Nascimento (família natural de Pernambuco) e de Izamildes Maria de Jesus Nascimento (família natural de Minas Gerais). É casado com Weslainy Nikeli, e pai de Emanuely (8 anos) e de Davi Lucas (6 anos). É membro da Igreja Assembleia de Deus (Ministério de Madureira) no Jardim Novo Horizonte I - Iporá/GO. É ainda professor teológico. 

Mais Opiniões
O que achou desse Artigo?
43 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano ou Facebook para comentar.

    Botão do Facebook
    Faça aqui o seu cadastro!