Opinião

Neste ano erramos em algumas contratações de jogadores para o Goianão

Valdivino Pains
25/03/2019

Não obtivemos o mesmo êxito no Cameonato de Futebol Profissional neste ano porque cometemos erros em contratações. Isso foi lamentável. Em dois anos anteriores fizemos boas contratações, com as informações que tínhamos e os atletas que vieram corresponderam no desempenho. Mas desta vez, lamentavelmente, fomos infelizes, com informações erradas que obtivemos e vieram alguns jogadores que tiveram que ser dispensados por indisciplina e teve alguns casos de atletas que tecnicamente também corresponderam. Esse foi o principal motivo para não chegarmos na posição dos dois anos anteriores.

 

Faltou também para o nosso time mais determinação. Se o time jogasse com aquela mesma determinação que jogou lá em Goianésia tudo poder ser diferente. O Iporá teve como seu melhor ponto positivo a zaga, exatamente porque ai estavam jogadors que nós já conhecíamos, a exemplo do Rodrigo Milanêz.

 

Tivemos o risco de cair para a segunda divisão, mas felizmente isso não aconteceu . E vamos seguir em frente. No dia 5 de maio teremos estreia em outro campeonato, a Série D do Brasileirão, quando vamos receber em casa o Sinop, de Mato Grosso. Mas só pensar neste campeonato quando resolvermos todas as pendências do campeonato que terminou.

 

Ainda não pagamos o último salário dos jogadores. Na verdade, 22 dias trabalhados, menos de mês. A nossa folha de pagamentos aos atletas no mês anterior foi 82 mil reais. Por 22 dias trabalhados, vamos pagar um valor proporcional a esse tempo de serviço. E temos pegar também premiação que foi prometida em caso do time não cair para a segunda divisão.

 

Estamos em fase de recebimentos de patrocínios e acreditamos que vamos quintar esse compromisso de salários e outros que ainda temos, inclusive, dinheiro emprestado que tivemos pegar.

 

Manter um time em um campeonato não é fácil. Felismente, antes do campeonato de 2019 começar tivemos uma renda na negociação do jogador Júnior Brandão, quando o Iporá Esporte Clube recebeu 100 mil reais por venda do jogador para o exterior. Esse dinheiro foi importante para quitar dívidas que tínhamos ainda do campeonato de 2018 e dar início em atividades do campeonato de 2019.

 

Esses assuntos de dinheiro poderiam ter sido melhores se o time tivesse, nos dois anos anteriores, conseguido uma vaga para disputar a Copa do Brasil, o que se consegue se chega a terceiro lugar em campeonato estadual. Iporá ficou em quinto por duas vezes. Se tivéssemos chegado na Copa do Brasil, aí a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) teria nos pago uma premiação de 525 mil reais. Seria um dinheiro que para o Iporá Esporte significaria muito.

 

Nossa renda de bilheteria foi muito pequena nesse ano, exatamente porque começamos mal o campeonato. E o torcedor comparecia em menor número. E Iporá é a menor cidades dessas que tem time na elite do futebol goiano. E por isso, claro, nosso número de torcedores é menor.

 

Vamos acabar de concluir o nosso fechamento de contas. Depois, vamos montar o time para a Série B, mas vamos contratar mediante as condições financeiras que tivermos na véspera de início deste campeonato. No mais, é agradecer aos que contribuíram e pedir que continue dando força para o time que representa o nome de nossa cidade em Goiás e no Brasil.

Valdivino Pains

Valdivino Pains é presidente do Iporá Esporte Clube

Mais Opiniões
O que achou desse Artigo?
15 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano.

    Faça seu Login

    Use sua conta do Oeste Goiano ou Facebook para comentar.

    Botão do Facebook
    Faça aqui o seu cadastro!