Opinião

Queremos o fim do voto secreto na Câmara de Iporá

Paulo Alves
26/02/2018

No inicio do ano de 2017 protocolamos junto a Mesa Diretora da Câmara duas proposta de Emenda a Lei Orgânica do Município - (PEC’s), uma que propõe a redução do recesso parlamentar de final de ano e a outro que propõem o fim do voto secreto, ambas foram assinadas por todos os vereadores, infelizmente no decorrer de todo o ano essas duas proposituras ficaram engavetadas na mesa diretora da Câmara.

 

Agora em 2018, o novo presidente da Câmara, vereador Suélio Gomes já nas primeiras sessões ordinárias ano que aconteceu nos dias 19 a 23 de fevereiro já pautou uma das emendas, a que prevê a redução do recesso parlamentar que foi aprovada por unanimidade por todos os vereadores em sua primeira votação, num total de 03. Por se tratar de uma PEC, é necessário um interstício de 10 dias de uma votação para a outra. Restando agora para ser pautada a Emenda que versa sobre o fim do voto secreto.

 

Em várias casas parlamentares do mundo e em alguns casos no Congresso Nacional o voto secreto não existe mais. Pode se afirmar sem risco de errar que o principio da representatividade é incompatível com votação secreta. É muito importante que o vereador que é o legítimo representante do povo no município, que na sua atuação parlamentar dê a devida transparência em todos os seus atos em todas as circunstâncias e situações.

 

Acreditamos que nas próximas sessões ordinárias que acontecerão no mês de março a PEC do fim do voto secreto seja pautada, por entender que essa decisão vem ao encontro dos anseios dos cidadãos iporaense, e será uma grande oportunidade do poder legislativo de Iporá dar mais uma demonstração de estar em sintonia e conectado as demandas da sociedade.

Paulo Alves

Paulo Alves é graduado em Geografia e Gestão Pública pela UEG, Unidade de Iporá, Professor Mestre em Ciência da Educação e vereador em Iporá

Mais Opiniões
O que achou desse Artigo?
43 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

1 comentário

  • Valfrido Adriano Morbeck Barros de Souza 26/02/2018

    Aproveitando o gancho da matéria e um clamor antigo da nossa comunidade, as sessões na Câmara Municipal de Iporá deveriam ocorrer no período noturno. Isso porque, no período que é atualmente realizado (matutino), grande parte da população está no trabalho.

Comente

Faça seu Login

Use sua conta do Oeste Goiano.

Faça seu Login

Use sua conta do Oeste Goiano ou Facebook para comentar.

Botão do Facebook
Faça aqui o seu cadastro!